Coleção de DVDs

O botão de pérola

O litoral chileno esconde o segredo de dois misteriosos botões encontrados no fundo do mar. Com mais de 4 mil km de costa e o maior arquipélago do mundo, o Chile apresenta uma paisagem sobrenatural, com vulcões, montanhas e glaciares. Nessa paisagem estão as vozes da população indígena da Patagônia e dos primeiros navegadores ingleses que chegaram ao país, e também a voz dos presos políticos da ditadura de Augusto Pinochet.
Neste documentário, premiado com o Urso de Prata de melhor roteiro, o diretor Patricio Guzmán procura encontrar a história chilena que permanece escondida na água. Ele declara acreditar que, além de ter memória, a água também possui voz, e “se chegarmos bem perto poderemos ouvir as vozes de cada um dos indígenas e dos desaparecidos”.

    Patricio Guzmán

  • Título Original: El botón de nácar
  • Ano: 2015
  • Duração: 82 min.
  • Idiomas: Espanhol, Kawésqar
  • Formato de tela: 16:9
  • Cor: Colorido
  • Legenda: Português
  • Classificação indicativa: 12 anos
  • País: Chile
  • Informações adicionais / Extras:

    Encontros, de Patricio Guzmán  (Chile, 2012-2015. 35 min). Filmado durante a realização de O botão de pérola.

    Livreto com ensaio de Eduardo Escorel e entrevista de Patricio Guzmán a Frederick Wiseman.

O Emprego

Oitavo título da coleção de DVDs do IMS, O emprego (Il Posto, 1961) é dirigido por Ermanno Olmi, diretor italiano mais conhecido no Brasil por A árvore dos tamancos (1978) e Caminha, caminha (1983). O filme conta a história de Domenico, jovem da classe operária de uma pequena cidade, que se candidata a uma função administrativa em uma grande empresa de Milão. Após um longo dia de testes, em que conhece Antonietta, também candidata, ele é contratado. E sente-se ainda mais feliz ao descobrir que Antonietta também foi aceita na empresa. As esperanças de Domenico, entretanto, são duplamente frustradas quando o colocam em um departamento longe dela e quando lhe recusam temporariamente o trabalho administrativo com o qual sonhava, para admiti-lo como mensageiro. “No início, não penso na câmera. Penso no que devem ser apresentado: o lugar, a iluminação, as pessoas. Construo a ficção que preciso e quando sinto que ela corresponde às minhas necessidades, vou para a câmera para ser conduzido pela cena, sem estabelecer de antemão que ‘aqui’ vou fazer um close-up, um plano geral ou um movimento de câmera. Não decido nada com antecedência. Quase sempre trabalho com a câmera na mão, na altura de meus olhos e se preciso movimentá-la procuro fazer como se ela fosse parte de meu corpo.” – Ermanno Olmi

    Ermanno Olmi

  • Título Original: Il Posto
  • Ano: 1961
  • Duração: 93 min.
  • Idioma: Italiano
  • Formato de tela: 4:3
  • Cor: Preto e Branco
  • Legenda: Português
  • Classificação indicativa: 12 anos
  • País: Itália
  • Informações adicionais / Extras:

    Livreto com o ensaio "O descrédito do milagre econômico", de Millicent Marcus.

DVD Os dias com ele

Os dias com ele

“Há dois protagonistas que vivem papéis duplos: a filha-cineasta e o pai-personagem. Se a relação cineasta-personagem já é, em qualquer documentário, complexa e permeada de tensões e dilemas éticos, a relação parental vai acrescentar graus ainda maiores de complexidade à obra” — observa Carla Maia sobre Os dias com ele de Maria Clara Escobar. A aproximação da filha ao pai, continua, “não se dá com precisão e segurança, mas de maneira vacilante, incerta, ao modo da tentativa e erro. Talvez venha daí a escolha de manter, em boa parte das entrevistas, os momentos que antecedem o bater da claquete – ajustar o enquadramento, colocar o microfone, testar o som. Sempre em preparação, nem pai nem filha parecem prontos para o encontro agenciado pelo filme.”

Duas viagens a Portugal, a primeira de quatro meses, a segunda de dois meses, “e um método mais automático do que resultado de uma reflexão” – observa Maria Clara –, “ele usando a construção das palavras e eu, o aparato da câmera. Ele repetindo um método de construir e eu, um de desconstruir. O que retrata e o retratado. O que olha e o que é visto. E, por que não, dentro dessa mesma lógica de relação de poderes negociados e apropriação de sua matéria, o que é pai e a que é filha. Repetimos muitas vezes este procedimento; e de maneira estranha, através da repetição, íamos nos aproximando e conhecendo pouco a pouco as armadilhas de cada um e talvez as armadilhas em que cada um estivesse preso.”

    Maria Clara Escobar

  • Ano: 2013
  • Duração: 105 min.
  • Idioma: Português
  • Formato de tela: 16:9
  • Cor: Colorido
  • Legendas: Espanhol, Inglês
  • Classificação indicativa: 12 anos
  • País: Brasil
  • Informações adicionais / Extras:

    "Fragmentos de uma conversa sobre Marxismo", depoimento não incluído na montagem final de Os dias com ele, de Maria Clara Escobar. [Brasil, 2015. 25 min. aprox.] Livreto "Duas notas sobre Os dias com ele" com depoimento da realizadora e introdução crítica de Carla Maia.