Idioma EN
Contraste

Luciane Ramos Silva

Artista da dança, antropóloga e curadora independente, doutora em Artes da Cena e mestre em Antropologia pela UNICAMP. Nos últimos dez anos desenvolveu danças e performances, parcerias e projetos na interface entre corpo, cultura e colonialidade. Codirige a revista O Menelick 2º Ato, é gestora de projetos do Acervo África e compõe a Anikaya Dance Theater, companhia sediada em Boston (EUA).

Prumo

Obra criada especialmente para o programa IMS Convida, e faz parte de um fluxo de investigação sobre urbanidade e racialidade. Essa investigação começa em 2017 e tem como provocações as perguntas: O que pode o corpo quando confronta os desafios da cidade e da crescente bifurcação entre humanismo e vida urbana? Como ocupar frestas e transitar nos desequilíbrios sem se perder? Quais fundamentos nos permitem (re)existir diante de desmontes, escombros e ruídos que atravessam carnes e ossos?

Imaginando voos, Luciane cria Brita, lugares vermelhos e invisíveis para existir, obra de 2018 situada nesta discussão sobre gentrificação e descorporificação, e que se desdobrará em parcerias com outras artistas também interessadas no assunto: como Falani Afrika, cineasta afro-estadunidense com a qual Luciane inicia em 2019 uma videodança que cruza a mesma problemática vivida em São Paulo com a realidade da cidade de Washington DC, que também expressa os deslocamentos brutais das populações subalternizadas em razão do avanço do capital neoliberal.

Essas reflexões incrustadas no ato criativo, entre quedas e encantamentos, fazem brotar Prumo.

Publicado em 26/11/20

Outras seções da Revista O Menelick 2º Ato

Mais sobre o Programa Convida
Artistas e coletivos convidados pelo IMS desenvolvem projetos durante a quarentena. Conheça os participantes:

A · B · C · D · E · F · G · H · I · J · K · L · M · N · O · P · Q · R · S · T · U · V · W · X · Y · Z