Idioma EN
Contraste

O cinema de Eduardo Coutinho

Eduardo Coutinho e Adrian Cooper nas filmagens de O Fio da Memória (1991. 115 min.). Arquivo Eduardo Coutinho / Acervo IMS
Eduardo Coutinho e Adrian Cooper nas filmagens de O Fio da Memória (1991. 115 min.). Arquivo Eduardo Coutinho / Acervo IMS

IMS Paulista fechado por tempo indeterminado. Confira as informações mais recentes sobre alterações no funcionamento do IMS durante a pandemia do novo coronavírus (covid-19) ►

Eduardo Coutinho iniciou sua carreira no cinema de ficção e no teatro. O curso abordará esse período e suas reverberações futuras nos documentários e nas experiências com a fronteira entre realidade e representação.


Sobre os participantes

Carlos Alberto Mattos é crítico e pesquisador de cinema, autor de oito livros, o último dos quais é "Sete Faces de Eduardo Coutinho". É cocurador da Ocupação Eduardo Coutinho. Escreve em carmattos.com e no portal Carta Maior.

Cristiana Grumbach é diretora, roteirista, editora e astróloga. Mestre em Criação e Produção de Conteúdos Digitais do Programa de Pós-Graduação em Mídias Criativas, da Escola de Comunicação da UFRJ. Dirigiu, pesquisou, roteirizou e editou os documentários de longa-metragem Morro da Conceição (2005), As cartas psicografadas por Chico Xavier (2010) e Filmes de Gordinho (2015), e documentários de curta-metragem produzidos pela Crisis Produtivas, sua produtora. Colaborou com Eduardo Coutinho como assistente de direção e pesquisadora nos longas-metragens Santo forte (1999), Babilônia 2000 (2001), Edifício Master (2002), Peões (2003), O fim e o princípio (2005) e, como diretora-assistente e pesquisadora, em Jogo de cena (2007).

Consuelo Lins é professora titular da Escola de Comunicação da UFRJ e pesquisadora do CNPQ. Doutora pela Universidade de Paris 3 – Sorbonne Nouvelle, fez pós-doutorado no Birkbeck College, Universidade de Londres. É autora de "O documentário de Eduardo Coutinho; televisão, cinema e vídeo" (Jorge Zahar edito, 2004r), em parceria com Cláudia Mesquita "Filmar o real, sobre o documentário brasileiro contemporâneo", (Jorge Zahar editor - 2007) e "Cao Guimaraes: arte, documentario, ficçao" (7Letras, 2019).

Jordana Berg é editora. Editou diversos filmes, entre eles, vários títulos de Eduardo Coutinho, com quem trabalhou desde 1999, quando fez a montagem de Santo Forte – longa que lhe conferiu o prêmio de melhor montagem no Festival de Brasília. De 2010 a 2011, foi professora no curso de montagem da Escola de Cinema Darcy Ribeiro. Recebeu também o prêmio de melhor montagem no Festival do Rio 2011, pelo filme Marcelo Yuka: no caminho das setas (2011), de Daniela Broitman.


Como participar

Aulas suspensas devido à pandemia do novo coronavírus (covid-19): equipe responsável pelos cursos e oficinas entrará em contato com os inscritos para esclarecer as dúvidas.

Quando
Encontros serão remarcados quando as atividades do IMS forem retomadas.

R$ 200 por 4 encontros.
Estudantes, professores e maiores de 60 anos têm 50% de desconto em todos os cursos, mediante apresentação de documento comprobatório no dia do evento.


Programa

Aula 1 | 6 de maio
O primeiro Coutinho e o desejo de ficção
com Carlos Alberto Mattos
Eduardo Coutinho iniciou sua carreira no cinema de ficção e no teatro. Era um cultor de paródias e citações. A palestra vai abordar esse período e suas reverberações futuras nos documentários e nas experiências com a fronteira entre realidade e representação.

Aula 2 | 13 de maio
Pesquisa de personagem
com Cristiana Grumbach
Como encontramos as pessoas que se tornaram personagens nos filmes de Coutinho? Quem, para ele, era um bom ator de si mesmo? Nesse encontro vamos conversar sobre o método de pesquisa de personagens criado e orientado pelo mestre.

Aula 3 | 20 de maio
Eduardo Coutinho, linguista selvagem do documentário brasileiro
com Consuelo Lins
Dos seus documentários em locações reais aos filmados em ambientes fechados, o cineasta Eduardo Coutinho investigou incansavelmente os modos de falar de seus personagens, suas “invenções verbais”, suas possibilidades de fabular, captando nesse movimento a complexidade e as modulações da língua portuguesa de camadas diversas da população brasileira. Vamos rever essa dimensão fundamental do cinema de Coutinho à luz de Ultimas conversas (2015), documentário editado por Jordana Berg e concluído por João Salles a partir do material audiovisual daquele que seria o último filme do cineasta.

Aula 4 | 27 de maio
Parceria diretor-montador
com Jordana Berg
Uma viagem pela obra do Coutinho através da montagem dos seguintes filmes: Santo Forte, Edifício Master, Jogo de Cena, Canções, Um dia na vida e Últimas conversas. Através desses filmes, vamos ver as escolhas estéticas e caminhos escolhidos por Coutinho, focando também na parceria diretor-montador.


Conteúdo relacionado


Na loja do IMS


Exposição relacionada


Mais eventos

Mais IMS