Cronologia Otto Stupakoff

1935-1958

1935: Otto Stupakoff nasce em 28 de junho, em São Paulo.

1943: Exibe filme amador no colégio paulistano São Luís.

1945: A família muda para Porto Alegre.

1946: Primeiras fotografias.

1951: Realiza o curta-metragem Missão. É apontado como um novo talento do cinema brasileiro.

1952: Encontra-se com o diretor de cinema Alberto Cavalcanti para pedir conselhos sobre a carreira artística.

1953

Vai para os Estados Unidos estudar fotografia no The Art Center College of Design (então Art Center School), em Los Angeles.

Correspondente da revista Manchete, para a qual fotografa Carmen Miranda.

Fotografa o The New York City Ballet, dirigido por George Balanchine, em temporada em Los Angeles, especialmente as bailarinas Tanaquil Le Clerq e Maria Tallchief.

Fotografa a bailarina e atriz Leslie Caron.

Recebe o diploma de bacharel em arte.

1956

Volta a Porto Alegre, onde projeta e constrói seu primeiro estúdio. Oscar Niemeyer publica fotos do estúdio na revista de arquitetura Módulo.

Fotografa todas as obras finalizadas de Niemeyer e viaja com ele e o presidente Juscelino Kubitschek para a região onde seria construída a futura capital, Brasília.

Primeira mostra de fotografias na galeria IBEU, do Instituto Cultural Norte-Americano, no Rio de Janeiro, para onde se muda em seguida.

1957

Realiza quatro séries de 12 trabalhos publicitários pela agência MacCann-Erickson, entre os quais um calendário para a Esso Petróleo.

Primeira capa de disco para o selo Odeon, Caymmi e o mar, de Dorival Caymmi.

Encomenda ao design Sérgio Rodrigues o “Sofá Mole”, que daria origem à “Cadeira Mole”, o objeto de design brasileiro mais conhecido fora do Brasil até hoje.

1958

Primeiras séries fotográficas de moda para publicação em revista no Brasil, clicadas em seu estúdio na avenida Ipiranga, praça da República, São Paulo. Editoriais de moda para a Rhodia, contratado pela Standard Propaganda.

Inaugura estúdio, posteriormente célebre, na rua Frei Caneca, 1.348, também em São Paulo.

Neste ano e nos seguintes, fotografa para a então nascente indústria automobilística. Entre os clientes, empresas como Ford, Volkswagen, Mercedes Benz e Alfa-Romeo.

Mostra individual na Galeria Oca, no Rio de Janeiro.

1961-1973

1961

Fotografa Manabu Mabe, Oscar Niemeyer e Tom Jobim no encarte publicitário A moda para o inverno, publicado na revista Manchete.

Fotografa para a capa da revista Senhor n. 39 e, no mesmo número, a fotonovela O rapto da musa art noveau, com legendas de Mengo de Escamoens e design gráfico de Wesley Duke Lee. Ensaio fotográfico Mulher deitada para o seu próprio conforto para a Senhor n. 41.

1963

Fotografa mestres da Bossa Nova como João Gilberto e Tom Jobim e o poeta Vinicius de Moraes.

Premiado com as medalhas Bronze e Prata no concurso New York World’s Fair, da Kodak.

Fotografias publicadas na revista Life.

Medalha de honra ao mérito da Associação Brasileira de Propaganda.

Participa do movimento Realismo Mágico, liderado pelo pintor Wesley Duke Lee.

Filme experimental seu é exibido em evento do bar João Sebastião, em São Paulo.

Inicia colaboração com a revista Cláudia. A primeira capa é a atriz Karin Rodrigues. Assina editoriais de moda para a mesma revista.

Mostra individual na Petite Galerie, em São Paulo.

Começa a pintar.

1964

Primeira temporada em Nova York. Exibe na Underground Gallery.

Conhece John Szarkowski, curador fotográfico do Museu de Arte Moderna de Nova York. Quatro fotografias suas são aceitas na coleção permanente do MoMA.

Conhece os fotógrafos Alexey Brodovitch, Richard Avedon, Irving Penn, Art Kane e Louis Faurer.

Exibe 40 fotografias no Museu Municipal de Haia, Holanda.

Certificado de Mérito na 43ª edição do Clube dos Diretores de Arte de Nova York.

1965

Muda-se para Nova York.

Fotografa capas de disco para o selo Columbia.

Leciona quatro semestres da disciplina Fotografia no Parsοn’s School of Design, em Nova York.

Fotografa pela primeira vez para a revista Harper’s Βazaar.

Viaja ao México convidado pelo arquiteto Ramírez Vasquez. Fotografa em grande formato para livro de 300 páginas do Museu de Antropologia da Cidade do México.

Dirige cinco comerciais de TV para a Johnson & Johnson, filmados na Venezuela.

Recebe o primeiro prêmio do Clube dos Diretores de Arte da Venezuela.

Prêmio do Clube dos Diretores de Arte de Nova York.

É contratado pela Harper’s Βazaar.

Fotografa moda e nus femininos no Taiti, nas ilhas Fiji, na Austrália, na Indonésia, na Tailândia, no Camboja, no Vietnã, na Índia, no Irã, na Grécia, na Itália, na França e na Inglaterra. Escreve e fotografa reportagem sobre a visão da juventude vietnamita sobre seu estilo de vida e as perspectivas para depois da guerra para a revista Look.

Fotografa Paloma Picasso em Paris.

Transfere seu estúdio para imóvel um andar acima do teatro Carnegie Hall.

Fotografa a atriz Natalie Wood para a revista Esquire.

É contratado como responsável pelas capas da revista Glamour pelo diretor de arte Miki Denhof, uma relação profissional que duraria 8 anos.

1967

Assina seu primeiro trabalho de moda para a Harper’s Bazaar, fotografando Leslie Bogart, aos 14 anos, no Edifício Dakota, em Nova York.

Fotografa e entrevista o ator Omar Sharif para a revista Glamour.

Fotografa o diretor do MoMA René D’Harnoncourt para a revista Harper’s Bazaar.

Viaja a Nova Déli pela Harper’s Bazaar para fotografar a atriz e escritora Madhur Jaffrey.

1969

Primeiro trabalho publicado na revista Elle francesa.

Fotografa a atriz Sharon Tate poucos meses antes do seu assassinato.

Quarenta e três fotografias suas são incorporadas ao acervo do MoMA de Nova York para a Coleção Permanente.

Torna-se membro da Sociedade Americana de Fotógrafos de Revista.

Fotografa Dubrovnik, na antiga Iugoslávia, para a Harper’s Bazaar.

1970

Fotografa, para a Exxon, a mais distante plataforma petrolífera do mundo, na ilha de Hooper, mar de Beaufort, entre Canadá e Alasca.

Estuda pintura na Art Students League, Nova York.

Publica ensaio de sete páginas com seus filhos, que foram visitá-lo no Natal de 1968, na revista Novidades Fotóptica n. 45.

1971

Cadastrado como fotógrafo autorizado a trabalhar na Casa Branca, retrata em diversas ocasiões o presidente Richard Nixon; a primeira dama Patricia Nixon e a filha do casal; o vice-presidente Spiro Agnew, o secretario de Estado Henry Kissinger, Martha Mitchell e Lynda Bird Johnson.

Patricia Nixon viaja a Nova York para ser fotografada em seu estúdio.

1971

Viaja a Mônaco para fotografar as princesas Grace e Stephanie.

Fotografa as atrizes Bette Davis, Lana Turner, Rosalind Russell, Jamie Lee Curtis, Tina and Nancy Sinatra, Ali McGraw e Mary Martin.

Passa três semanas no Taiti elaborando material para homenagem a Gaugin.

Expõe em mostra individual no Museu de Antropologia da Cidade do México.

1972

Retrata Joan Kennedy, os atores Paul Newman, Jack Nicholson, Robert Redford e Mia Farrow; o romancista William Styron; a escritora Nora Ephron.

Muda-se para Paris e torna-se o responsável pelas capas da Vogue Paris.

Fotografa os integrantes do musical Cats para a revista Glamour.

Fotografa os atores Richard Burton e Sophia Loren, os dramaturgos Harold Pinter e Tom Stoppard, o crítico de teatro do New York Times Clive Barnes, o escultor Eduardo Paolozzi, as atrizes Claire Bloom, Olivia de Havilland, Isabelle Adjani e Olivia Hussey, os estilistas Yves Saint Laurent, Madame Gres, Coco Channel, Nino Cerruti e Kenzo.

Mostra individual O melhor da Harper’s Bazaar, com curadoria de Bea Feitler, na galeria Scribner’s, em Nova York.

1973

Muda-se para Paris.

Assina contrato com as Vogue italiana, alemã e britânica para fotografar nas Ilhas Seychelles, Maurício, nos Baleares, no Quênia, na África do Sul, na Índia, na Tailândia, no Zaire, na Líbia, na Turquia, em Portugal, na Espanha, na Itália, em Hong Kong, Macau, na Islândia, na Groenlândia, na Irlanda, na Rússia e Sri Lanka.

Fotografa em Guadalajara, México, para a edição especial para a Vogue Paris.

Fotografa Margot Fontein, Aldo Gucci, o Príncipe Henri D’Orleans e o diretor Roman Polanski.

Ian. Otto Stupakoff/Acervo IMS

1975-1991

1975: Exposição individual, Escola de Artes Visuais do Parque Laje, Rio de Janeiro.

1976

Muda-se para o Rio de Janeiro.

Edição especial para a Vogue Brasil sobre o escritor Jorge Amado.

Elabora livro com fotos de trabalhadores rurais brasileiros para a companhia Caterpillar.

Viagem de barco de cinco dias pelos rios da bacia Amazônica.

Duas edições especiais para a Vogue Paris: Baden-Baden, Alemanha, com Vicomtesse Jacqueline de Ribes, e nas ilhas Baleares com a modelo Ursula Andress.

Exposição individual, Gallerie Rohweder, Paris. Curadoria de Renate Gallois-Montbrun.

1977

Viaja para a ilha Svalbard, no Ártico. Viaja para a ilha Ellesmere, acompanhando uma expedição arqueológica canadense.

Fotografa o compositor Cy Coleman e o coreógrafo Bob Fosse.

1978

Lança o livro Otto Stupakoff: fotografias, editora Práxis, São Paulo.

Retrospectiva no Museu de Arte de São Paulo, curadoria de Pietro Maria Bardi.

Exposição individual, Crianças brasileiras, no Museu da Imagem e do Som (MIS), Rio de Janeiro.

Publica foto da década de 1950 de Heitor dos Prazeres, na Novidades Fotóptica n.84.

Depoimento ao MIS-SP.

1979

Escreve Carta a um jovem fotógrafo, adaptada de Rainer Maria Rilke, na revista Íris n. 318.

1980

Muda-se para Nova York. Trabalha para as revistas Harper’s Bazaar e Glamour.

Fotografa a primeira-dama Rosalyn Carter e sua filha Amy.

Viaja para a Dinamarca, Suécia e Noruega.

1980: Prêmio especial do júri, Club des Directeurs Artistiques, Paris.

1986: Prêmio Dupont, Paris.

1989

Professor de fotografia no mesmo grupo dos fotógrafos Art Kane, Arthur Elgort e Duane Michaels em Cape May, NJ.

Fotografa Bo Jackson e Michael Jordan para a Nike.

Viaja para o Alaska e para Pangnirtung, no Ártico, para a revista GQ.

Exposição individual Images profissionelles, Arles, França.

Exposição individual, Photokina, Colônia, Alemanha.

1990

Fotografa em Ushuaia, Argentina, e retrata a vida selvagem no Canal de Beagle.

Viaja para as Ilhas Maurício, no Marrocos, e para os Pirineus espanhóis pela Le Figaro.

Exposição individual na Parson School of Design, Nova York.

1991: Exposição coletiva no Museu de Arte de São Paulo e lançamento do Catálogo da Coleção Pirelli-Masp n. 1, texto de Boris Kossoy.

1992-2009

1992

Participa da exposição coletiva Staley-Wise Gallery, Nova York, junto com Helmuth Newton.

Fotografa para a revista Vanity Fair italiana.

Viaja para o Alaska, Tailândia e Japão.

1993

Fotografa para o livro Art to wear, que recebe resenha da revista Time apontando-o como um dos 10 melhores do ano.

Viaja para Paris, Londres, Viena, Praga e Budapeste.

1994

Muda-se para Coconut Grove, Flórida.

Viaja a trabalho para Istambul.

Passa um mês no Camboja fotografando e pintando para o Cambodia National Trust em prol das vítimas de minas explosivas. Fotografa o The CambodianRoyal Ballet, as ruínas de Angkor, hospitais militares, os Killing Fields e a prisão de tortura de Tuol Sleng.

Exposição individual, Museu de Arte de São Paulo.

1999

Vinte telas exibidas na Academia de Ciências, em Nova York.

Edita suas fotos do Camboja para um vídeo, Anima mundi, sobre o renascimento do país, e produz o documentário Cambodia jokes.

2003

Participa de exposição coletiva no Museu de Arte de São Paulo, com fotos incluídas no catálogo da Coleção Pirelli-Masp n.12, texto de Rubens Fernandes Junior.

Exposição individual Acrylic boxes, Amarcord Gallery, em Beacon, Nova York.

2004

Muda-se para Morse’s Pond, em Wellesley, Massachusetts.

Exposição retrospectiva da Série Arquitetônica, década de 1950, Galeria Espasso, Nova York; curadoria de Fernando Lazlo.

2005

Volta a morar no Brasil.

Retrospectiva Moda sem fronteiras – Otto Stupakoff: 1955-2005, com 83 fotos: Museu de Arte Moderna de Salvador, Bahia, e São Paulo Fashion Week, Fundação Bienal de São Paulo. Curadoria de Bob Wolfenson e Fernando Lazlo.

Professor na Escola Panamericana de Artes.

Passa oito meses na Tailândia entre Bangcoc e a cidade de Kanchanaburi, às margens do rio Kwai. Palestras na Univesidade de Bangcoc.

2006

Livro Rioerótico – A fotografia sensual de Otto Stupakoff, editora HarperCollins & Regan Books, Nova York.

Livro Otto Stupakoff, editora Cosac Naify, São Paulo.

2009

Exposição Otto Stupakoff. Fotografias, com 79 fotos, no Instituto Moreira Salles (Rio de Janeiro e São Paulo).

Otto morre em São Paulo, no dia 22 de abril.

Outros acervos