Idioma EN
Contraste

Biblioteca de Fotografia

IMS Paulista

Avenida Paulista, 2424
São Paulo/SP - CEP 01310-300

Atendimento

Apenas mediante agendamento. Terça a domingo, das 11h às 19h. Tempo máximo de permanência: 2h

Agendamento

Com 24h de antecedência.
Temporariamente apenas para pesquisadores.
Agendar pesquisa

Contato

biblioteca.fotografia@ims.com.br

A Biblioteca de Fotografia do IMS Paulista é uma iniciativa única no Brasil. Com capacidade para abrigar 30 mil itens, visa a incentivar a pesquisa no campo fotográfico e a colaborar para a compreensão da fotografia nos seus mais diversos modos de expressão. O acervo é composto por publicações de e sobre fotografia, contemplando também seus desdobramentos em áreas como cinema, moda, artes visuais e ciências humanas. Além do catálogo de obras gerais, selecionadas pela curadoria, há coleções especiais de nomes como Stefania Bril, Thomaz Farkas, Iatã Cannabrava, Vania Toledo e Steidl.

Atendimento ao público

Temporariamente, atendimento apenas para pesquisadores, mediante agendamento prévio.
Terça a domingo, das 11h às 19h. Tempo máximo de permanência: 2h

Agendamento com 24h de antecedência.

Venha sem bagagem também à Biblioteca.
Não teremos serviço de guarda-volumes.

Serviço de alerta

Cadastre-se aqui para receber notificações periódicas quando novos livros com autores, fotógrafos ou assuntos de seu interesse chegarem ao acervo e estiverem disponíveis para consulta.

Periódicos

O IMS disponibiliza para consultas online todo o conteúdo da revista Novidades Fotoptica, um dos mais longevos periódicos de fotografia no Brasil, capitaneado por Thomaz Farkas e editada entre 1953 e 1987. Os 136 números da publicação integram a biblioteca pessoal de Thomaz Farkas, parte da qual está guardada na Biblioteca de Fotografia.

 

Revista Novidades Fotoptica, n. 58, 1972. Capa com ensaio de Maureen Bisilliat. Acervo da Biblioteca de Fotografia/ IMS. © Thomaz Farkas Estate Comércio de Obras de Arte Ltda.

 

O acervo possui outros periódicos recentes e históricos, além de assinaturas das revistas ZUMApertureFOAMExitBritish Journal of PhotographyTransbordeur e Artforum, e do jornal The New York Times (EUA, digital). Recursos online dos mesmos estão disponíveis para os usuários nos terminais de consulta.

Pesquise no acervo

Pode-se pesquisar de várias maneiras no acervo bibliográfico: título do livro, autor ou fotógrafo, assunto, nacionalidade ou localidade, tipo de publicação, coleção, editora, ano etc. 

Assim, é possível encontrar, por exemplo: livros de e sobre um fotógrafo; títulos sobre fotojornalismo ou história da fotografia; volumes de fotografia de um continente, de um país ou que tematizem uma cidade; catálogos de exposição ou fotolivros; a composição das bibliotecas particulares; a produção de editoras específicas; a safra editorial de determinada década; e muito mais.

Foto de Pedro Vannucchi/IMS
Foto de Pedro Vannucchi/IMS

Palavra do curador

Neste video, o curador Miguel Del Castillo apresenta em linhas gerais o acervo da Biblioteca de Fotografia e as atividades realizadas nesse espaço do IMS Paulista.

Viúva negra

Graças a uma parceria entre o IMS e o IABsp a Biblioteca abrigou entre setembro de 2017 e agosto de 2019 o móbile Viúva Negra, de Alexander Calder (1898-1976).

 

Vitrine da Biblioteca

A Biblioteca de Fotografia do IMS Paulista também promove mini-exposições temáticas de fotolivros, relacionadas ou não às exposições em cartaz no centro cultual.

Encerradas

Fotolivro de cabeceira

O conteúdo das apresentações do Fotolivro de Cabeceira não necessariamente reflete o pensamento institucional do IMS.

A artista visual Daniela Paoliello fala sobre Kamaitachi, do fotógrafo e artista transmidiático japonês Eikoh Hosoe, um título que, segundo ela, "nos permite pensar a ideia de fotolivro como colaboração". Publicado pela primeira vez em 1969 numa edição limitada, as imagens foram produzidas através de uma parceria singular entre Hosoe e o dançarino e coreógrafo Tatsumi Hijikata. Em 1965 ambos visitaram uma pequena aldeia agrícola em Tohoku, norte do Japão, e tomaram a paisagem rural como um conjunto teatral para uma performance de improvisação em que Hosoe fotografava as interações espontâneas de Hijikata com a terra e seus habitantes. Nesta conversa, Paoliello também contextualiza o livro e seu autor dentro da fotografia japonesa de então e da história do meio no país.

 

Daniela Paoliello é artista visual e reside em Belo Horizonte. Graduada em Ciências Sociais pela UFMG e doutora em Artes pela UERJ, é autora dos fotolivros Exílio e Que horas são no paraíso?.

Foto de Pedro Vannucchi/IMS
Foto de Pedro Vannucchi/IMS

Outros acervos

Mais IMS