Dentre as revistas ilustradas de grande circulação surgidas no século XX no Brasil, certamente O Cruzeiro foi pioneira, e uma das mais importantes. Lançada em 1928 e logo alcançando imensa popularidade, a publicação se destacou amplamente na introdução de novas técnicas e concepções visuais, introduzindo o fotojornalismo como fator essencial na documentação e registro da realidade brasileira. Sua última edição saiu em 1975. José Medeiros, que trabalhou ali de 1946 a 1961, tornou-se, ao lado de seu diretor, Jean Manzon, fotógrafo francês radicado no Brasil desde 1940, um de seus principais nomes. Foi a partir de uma grande e polêmica reportagem para a revista, intitulada As noivas dos deuses sanguinários, em 1951, que Medeiros compôs o livro Candomblé, de 1957.

 


Ritual de candomblé de iniciação das filhas-de-santo, 1951. Bahia.

 


Ritual de candomblé de iniciação das filhas-de-santo, 1951. Bahia.

 


Ritual de candomblé de iniciação das filhas-de-santo, 1951. Bahia.

 


Ritual de candomblé de iniciação das filhas-de-santo, 1951. Bahia.