Idioma EN
Contraste

Sobre Mauricio Rosenblatt

Homem de cultura e de espírito empreendedor, ao lado de Erico Verissimo e Henrique Bertaso contratou colaboradores do quilate de Carlos Drummond de Andrade e Mario Quintana, que, integrando um time de especialistas, foram os responsáveis pela tradução de autores como Marcel Proust, entre tantos outros. Verissimo conta em suas memórias: “Henrique, Maurício e eu, em sinistro conluio, decidimos atirar-nos nessa aventura editorial que foi a versão para a língua de Machado e Eça da grande obra de Marcel Proust”.

Talentoso e dotado de fino senso de humor, Rosenblatt desenvolveu amizade com seus autores ou colaboradores, o que se reflete nas dedicatórias dos livros de sua biblioteca: “Ao sr. Maurício Rosenblatt, um dos responsáveis pela existência deste livro”, escreveu-lhe Cecília Meireles no seu Mar absoluto e outros poemas, publicação da Livraria do Globo, em 1945. Incentivador da Feira do Livro de Porto Alegre, foi o primeiro patrono homenageado no evento. Nem por isso deixou de ser modesto, e, em 1987, já octogenário, agradecia com humildade a Antonio Candido pelo envio de A educação pela noite, livro do professor e crítico paulista com quem, como “velho autodidata”, escreve o próprio Rosenblatt, não deixava de aprender.

Maurício Rosenblatt morreu no dia 26 de julho de 1988, em Porto Alegre.

 

No IMS

O Acervo Maurício Rosenblatt chegou ao Instituto Moreira Salles em 2007. É formado de biblioteca de 228 livros; e de arquivo com 15 apensos e dois documentos audiovisuais.