Cursos e oficinas do IMS Paulista

primeiro semestre de 2018

Os cursos e oficinas oferecidos pelo IMS Paulista são oportunidades para ampliar o pensamento crítico sobre fotografia e experimentar seus diferentes processos e técnicas.

De aulas expositivas a imersões no laboratório, há atividades tanto para os que querem ter os primeiros contatos com a prática fotográfica como para aqueles que buscam desenvolver projetos pessoais; para interessados na história do meio e para pesquisadores procurando arejar seu conhecimento.

Completam a programação rodas de conversa e cursos inspirados em exposições em cartaz ou que tangenciam as outras áreas de atuação do Instituto Moreira Salles – literatura, iconografia, música e cinema. Inscreva-se!

As matrículas serão feitas exclusivamente pelo Eventbrite. Estudantes, professores e maiores de 60 anos têm 50% de desconto em todos os cursos. Para mais informações, envie um email para cursos.paulista@ims.com.br.

CURSOS

Cidade Gráfica - Rua Direita. São Paulo, 1970. Claudia Andujar.

 

Cidades por escrito

com Laura Hosiasson, Sandra Vasconcelos, Carlos Augusto Calil, Samuel Titan Jr. e Beatriz Resende

1, 8, 15, 22 e 29 de março (quintas-feiras), das 19h às 21h. 5 aulas, R$ 250

ESGOTADO

A estreita relação da literatura – dos próprios escritores e de suas obras – com grandes cidades é escrutinada por diferentes especialistas.

1/3: A Buenos Aires escrita por Julio Cortázar, com Laura Hosiasson

  • Laura Hosiasson é livre-docente e professora associada do Departamento de Letras na USP. Sua ênfase acadêmica recai sobre a literatura hispano-americana. Publicou o livro Nação e imaginação na Guerra do Pacífico

8/3: A Dublin escrita por James Joyce, com Sandra Vasconcelos

  • Sandra Vasconcelos é professora de literaturas de língua inglesa na USP. Foi pesquisadora visitante no Centre for Brazilian Studies da Universidade de Oxford. É autora de, entre outros, A formação do romance inglês: ensaios teóricos, vencedor do Prêmio Jabuti 2008 na categoria Teoria/Crítica Literária.

15/3: A São Paulo escrita por Mário de Andrade, com Carlos Augusto Calil

  • Carlos Augusto Calil é professor do Departamento de Cinema, Rádio e Televisão da ECA-USP. Foi Secretário Municipal de Cultura de São Paulo e dirigiu o Centro Cultural São Paulo. Coorganizou o livro Mário de Andrade: me esqueci completamente de mim, sou um departamento de cultura e criou o site Morada do Coração Perdido, que retrata a vida e a obra do autor de Macunaíma.

22/3: A Londres escrita por Virginia Woolf, com Samuel Titan Jr.

  • Samuel Titan Jr. é professor de teoria literária da USP, tradutor e editor. Fundou as coleções Prosa do Mundo, na Cosac Naify, e Fábula, na Editora 34. É coordenador editorial e executivo do IMS.

29/3: O Rio de Janeiro escrito por Lima Barreto, com Beatriz Resende

  • Beatriz Resende é crítica, pesquisadora e professora da Faculdade de Letras da UFRJ. Edita, junto com Heloisa Buarque de Hollanda, a revista Z Cultural. É autora, entre outras publicações, de Lima Barreto e o Rio de Janeiro em fragmentos.

 

 

HISTÓRIAS DA FOTOGRAFIA

Organização: Miguel Del Castillo e Thyago Nogueira

Como alternativa a uma história da fotografia única e cronológica, esta série apresenta histórias variadas a partir de temas que atravessam a produção fotográfica. No semestre anterior, os temas foram arte, exposições e imprensa. Neste, nos debruçaremos sobre ciências humanas, moda e fotografia amadora.

A fotografia através das ciências humanas

com Lilia Moritz Schwarcz

20 e 27 de fevereiro e 6 e 13 de março (terças), das 19h às 21h. 4 aulas, R$ 200

ESGOTADO

O objetivo do curso é mostrar como as ciências humanas – antropologia, história e sociologia – podem entender a fotografia não como um produto do seu contexto, mas como produtora de imagens, representações e hábitos. Se, por muito tempo, representações visuais foram entendidas como ilustrações ou anexos, neste programa objetiva-se tirá-las do segundo plano para que ganhem o papel de protagonistas. Fotografias comportam-se como documentos poderosos que, muitas vezes, ajudam a construir a realidade que pretendem apenas reproduzir.

  • Lilia Moritz Schwarcz é professora de antropologia na USP e curadora adjunta do Masp. Organizou exposições como Um olhar sobre o Brasil (com Boris Kossoy) e Histórias mestiças (com Adriano Pedrosa), ambas no Instituto Tomie Ohtake. É autora de Brasil: uma biografia (com Heloisa Starling) e Lima Barreto: triste visionário, entre outros.

 

A fotografia através da moda

com Bob Wolfenson

3, 10, 17 e 24 de abril (terças), das 19h às 21h. 4 aulas, R$ 200

ESGOTADO

O século XX mostrou que não existe moda sem fotografia. A criação de um estilista, da fabricação das roupas à escolha dos modelos, só se completa quando termina em uma imagem. Este curso acompanha a história da fotografia de moda – território de figuras como Irving Penn, Richard Avedon, Anna Wintour, Juergen Teller, Annie Leibovitz e Otto Stupakoff, entre muitos outros – para mostrar um universo exuberante e às vezes polêmico, capaz de absorver qualquer influência e de transformar não só as roupas, como a música, o cinema, o comportamento e a cultura de rua.

  • Bob Wolfenson é um dos principais retratistas e fotógrafos de moda e nu em atividade no Brasil. Foi cocurador da mostra Otto Stupakoff: beleza e inquietude, realizada no IMS Rio. Publicou também fotolivros autorais, como Belvedere e Apreensões, e edita a revista S/N.

 

A fotografia através do olhar amador

com Lívia Aquino

8, 15, 22 e 29 de maio (terças), das 19h às 21h. 4 aulas, R$ 200

A presença da imagem fotográfica no mundo ganha força com a criação de uma indústria voltada para o amador em fins do século XIX, um tipo social que se define desde esse período produzindo cada vez mais fotografias e, de algum modo, compartilhando essa experiência mesmo antes do tempo das redes sociais. O curso busca esmiuçar a construção desse sujeito e refletir como todos são, em certa medida, fotógrafos amadores.

  • Lívia Aquino é pesquisadora, professora e artista. Coordena a pós-graduação em fotografia da Faap. É autora do livro Picture Ahead: a Kodak e a construção do turista-fotógrafo, publicado com apoio do Prêmio Marc Ferrez.

 

SOBRE CLÁSSICOS

Esta nova série de cursos visa ao estudo da obra de fotógrafos ou grupos que tiveram importância vital na história da fotografia.

Desembarque das tropas aliadas na praia de Omaha, Normandia, França, dia D, 6 de junho de 1944. © Robert Capa/International Center of Photography.

Os fundadores da Magnum: Robert Capa, Henri Cartier-Bresson, George Rodger e David “Chim” Seymour

com Erika Zerwes

4, 11, 18 e 25 de abril (quartas), das 19h às 21h. 4 aulas, R$ 200

ESGOTADO

Uma introdução ao trabalho de Robert Capa, Henri Cartier-Bresson, George Rodger e David “Chim” Seymour, fotógrafos que criaram a Magnum, uma das mais conceituadas agências fotográficas do mundo, cuja importância vem em grande parte do legado de seus quatro fundadores. Ao retratar alguns dos principais eventos históricos do século XX, tais fotógrafos também estabeleceram paradigmas para o fotojornalismo e para a própria figura do fotojornalista.

  • Erika Zerwes é doutora em história pela Unicamp e pós-doutora pelo MAC-USP. Coordena o grupo de trabalho Imagem, Cultura Visual e História da ANPUH Nacional e é autora de Tempo de guerra: cultura visual e cultura política nas fotografias dos fundadores da agência Magnum, 1936-1947 (no prelo).

 

Modernidade, retrato e fotografia de estúdio na África Ocidental

com Sabrina Moura

2, 9, 16 e 23 de maio (quartas), das 19h às 21h. 4 aulas, R$ 200

Partindo da produção do fotógrafo malinês Seydou Keïta, em exibição no IMS Paulista a partir de meados de abril, o curso discute as relações entre o retrato fotográfico, a prática de estúdio e a cultura visual na África Ocidental. Serão analisadas as expressões desse gênero de fotografia ao longo do século XX e seu papel na elaboração de uma visão específica de modernidade africana, bem como seu diálogo contemporâneo com as artes visuais, passando por nomes como, além do próprio Keïta, Mama Casset, Malick Sidibé, Oumar Ka, Samuel Fosso, Fatoumata Diabaté e outros.

  • Sabrina Moura é curadora e pesquisadora. Doutoranda no Departamento de História da Unicamp, realiza pesquisa sobre a Bienal de Dacar (Senegal). Foi pesquisadora visitante no Instituto de Estudos Africanos da Universidade de Columbia, em Nova York.

 

RÁDIO BATUTA APRESENTA

Os Mutantes e Gilberto Gil, c. 1969. David Drew Zingg/Acervo IMS.

A música popular pós-1967: novas canções, montagens e sonoridades

com Sergio Molina

3, 10, 17 e 24 de maio (quintas), das 19h às 21h. 4 aulas, R$ 200

Um estudo das novas técnicas de composição de música popular, que dividiram a criação de canções populares em dois períodos e surgiram e se consolidaram a partir de 1967 – com o lançamento do álbum Sgt. Pepper's Lonely Hearts Club Band, dos Beatles, e que no Brasil começou com a Tropicália, logo a seguir. Sem deixar de cuidar dos enlaces especiais entre versos e melodias, a canção popular passou a focalizar também a construção de diferentes “sonoridades”, que, justapostas, organizam-se em faixas contrastantes ao longo dos álbuns. O curso abordará também a obra de artistas como Milton Nascimento, Caetano Veloso, Arrigo Barnabé e Egberto Gismonti, entre outros.

  • Sergio Molina é compositor, doutor em música pela USP, coordenador da pós-graduação em canção popular na FASM-SP e professor do ICG (Belém). É autor de Música de montagem: a composição de música popular no pós-1967.

 

OFICINAS

 

Retrato: modos de iluminar

com Hilton Ribeiro

27 de fevereiro, 6, 13, 20 e 27 de março e 3 de abril (terças), das 19h às 21h30. 6 encontros, R$ 300

ESGOTADO

Em aulas práticas, será analisada a iluminação para retratos a partir da obra de fotógrafos clássicos. Os participantes terão oportunidade de fotografar pessoas experimentando várias técnicas de iluminação, com o uso de tipos diferenciados de fontes de luz e de acessórios, como rebatedores, difusores e filtros.

 Os participantes devem trazer uma câmera analógica ou digital que permita ajustes manuais e possuir domínio técnico sobre ela.

  •  Hilton Ribeiro é fotógrafo. Trabalha em seu estúdio desde 1981 em projetos autorais como O tempo todo (em que fotografa a mesma pessoa com um intervalo de 10 a 20 anos) e em produções fotográficas voltadas para o mercado publicitário.

 

Fotografia 2: Processos

com Celina Yamauchi

1, 8, 15, 22 e 29 de março e 5 de abril (quintas), das 19h às 21h30. 6 encontros, R$ 300

ESGOTADO

Aulas que estimulam o uso da câmera fotográfica aliando seus recursos técnicos a questões visuais de ordem construtiva, comunicativa e expressiva. Haverá orientação para o encaminhamento da produção material das fotografias em laboratório preto e branco ou impressora digital considerando a singularidade das propostas. Este é o segundo de três módulos do ciclo de formação em fotografia promovido pelo IMS.

Prioridade na inscrição para alunos que já cursaram Fotografia 1: Princípios. Vagas remanescentes serão disponibilizadas a candidatos na lista de espera que comprovem, após solicitação, ter conhecimentos técnicos equivalentes aos apresentados no primeiro módulo.

 

Fotografia 1: Princípios

com Celina Yamauchi

de 10 de abril a 26 de junho (terças), exceto feriados, das 19h às 21h30. 12 encontros, R$ 480

ESGOTADO

Uma introdução ao universo da fotografia para interessados em conhecer seus princípios conceituais e técnicos. Em aulas expositivas e práticas, aborda assuntos como a formação da imagem na câmara obscura, os materiais fotossensíveis e os ajustes básicos das câmeras. Este é o primeiro de três módulos do ciclo de formação em fotografia promovido pelo IMS.

Os participantes devem trazer uma câmera analógica ou digital que permita ajustes manuais. Haverá uma aula no domingo, dia 20 de maio, das 14h30 às 17h.

  • Celina Yamauchi é artista e professora de fotografia na Faap e na Belas Artes. É responsável pela organização das atividades dos ateliês do IMS Paulista.

 

Experimentações

Domingos, das 11h às 12h30. Atividade gratuita, lugares limitados; distribuição de senhas 30 minutos antes

O IMS abre seu ateliê e seu laboratório para que o público se engaje em atividades fotográficas experimentais relacionadas a uma técnica ou ao procedimento de obtenção de imagens

11 de março: Cianótipo (neste dia também às 15h)

15 de abril: Contraste

 20 de maio: Negativo

 10 de junho: Fotograma

 

Suportes e sentidos

com Mariano Klautau Filho

10, 11, 12, 17, 18 e 19 de abril (terças, quartas e quintas), das 19h às 21h30. 6 encontros, R$ 300

Após uma introdução teórico-histórica sobre aspectos da poética da fotografia e de seu lugar na arte e na cultura, propõe-se uma discussão, a partir de material trazido pelos participantes, acerca dos sentidos associados aos modos escolhidos para a materialização de cada obra.

Os participantes devem enviar portfólio fotográfico ou projeto em pdf após a inscrição e também trazê-lo na primeira aula.

  • Mariano Klautau Filho é artista, pesquisador e curador, professor da Universidade da Amazônia em Belém. Curador do Prêmio Diário Contemporâneo de Fotografia, organizou a exposição Antilogias: o fotográfico na Pinacoteca, entre outras.

 

Retrato e identidade

com coletivo Trëma

24, 25 e 26 de abril (terça a quinta), das 16h30 às 19h. 3 encontros, R$ 150

ESGOTADO

A forma e o conteúdo de uma série de imagens que tem o retrato como fio condutor serão o objeto desta oficina, que parte do trabalho Memento, vencedor da Bolsa de Fotografia ZUM/IMS em 2015, um estudo da memória de seus personagens a partir não apenas da expressão física, mas também de suas recordações. Os participantes serão convidados a pesquisar sobre outros colegas da oficina e produzir uma série de imagens e textos que reflita sua interpretação sobre a identidade de seu objeto de pesquisa.

Os participantes devem trazer uma câmera analógica ou digital que permita ajustes manuais e possuir domínio técnico sobre ela.

 

O ensaio visual: provas de impressão

com João Luiz Musa

25 de abril e 2, 9, 16, 23 e 30 de maio (quartas), das 19h às 21h30. 6 encontros, R$ 300

ESGOTADO

Uma aproximação aos conceitos básicos das impressões digitais de um ensaio: as provas de estado com foco na finalização de um projeto editorial, seja em livro ou num conjunto de imagens; a busca de um partido gráfico e do alinhamento entre a visualização das imagens em monitores, a impressão de provas e num sistema industrial.

Prioridade na inscrição para alunos que já cursaram O ensaio visual em livro. Vagas remanescentes serão disponibilizadas a candidatos na lista de espera após análise de portfólio.

  • João Luiz Musa é fotógrafo e professor do Departamento de Artes Visuais da ECA-USP. Trabalha em seu estúdio na área editorial e publicou, entre outros, os fotolivros autorais 24 x 36 e Depois do inverno.

 

Mestre anônimo, Santa Madalena, sul da Alemanha, c. 1470-1480, xilogravura colorida.

A imagem impressa antes da fotografia

com Claudio Mubarac

8, 15, 22 e 29 de maio e 5 e 12 de junho (terças), das 19h às 21h30. 6 encontros, R$ 300

Com aulas expositivas e demonstrações práticas dos processos técnicos e históricos da gravura na construção de suas matrizes e impressão de suas estampas, a oficina é uma introdução à história da imagem impressa entre os séculos XV e XIX, expondo seus alentados modos de penetração na trama do mundo das imagens repetidas.

  • Claudio Mubarac é desenhista, gravador e professor livre-docente do curso de artes visuais da ECA-USP.

 

Cianotipia: desenhos da luz

com Marcos Blau

16, 23 e 30 de maio e 6, 13 e 20 de junho (quartas), das 19h às 21h30. 6 encontros, R$ 300

ESGOTADO

Produção livre pelo processo de cianotipia de imagens a partir de negativos fotográficos, desenhos em transparências ou objetos sobre diferentes superfícies (papel, tecido e madeira). Essa antiga técnica, que remonta ao ano de 1842 e usa sais de ferro na formação das imagens em azul intenso, será usada para que os participantes compreendam alguns princípios fotográficos.

  • Marcos Blau é fotógrafo, fotogravador e pesquisador de artes gráficas e processos fotográficos históricos. Integra o Atelier Estrela Brasil Oriente, que, entre outros projetos, realiza pesquisa em fotogravura na ECA-USP.

 

RODAS DE CONVERSA

 

Ciência em diálogo: Física e arte

Sextas, das 19h às 21h. Atividade gratuita, lugares limitados; distribuição de senhas 30 minutos antes

Em parceria com o South American Institute for Fundamental Research do International Centre for Theoretical Physics (ICTP-SAIFR), abrigado no Instituto de Física Teórica da Unesp, esta atividade une um físico e um artista, crítico ou pesquisador de artes para dialogar sobre temas comuns a ambas as áreas, sob diferentes abordagens. Mediação de Rogerio Rosenfeld.

2 de março: Música e som, com Nathan Berkovits e Flo Menezes

Nathan Berkovits é físico, diretor do ICTP-SAIFR, professor do IFT-Unesp e membro da Academia Brasileira de Ciências e da Academia Mundial de Ciências. Desenvolve pesquisa na área de supercordas. Flo Menezes é músico, diretor do Studio PANaroma de Música Eletroacústica e professor do IA-Unesp. Ganhou vários prêmios internacionais por suas composições eletroacústicas, incluindo o Giga-Hertz-Preis em 2007.

6 de abril: Fotografia espacial, com Luis Raul Abramo e Cristina Bonfiglioli

Luis Raul Abramo é físico, professor do IF-USP e pesquisador visitante nas universidades de Princeton e da Pensilvânia. Trabalha nas áreas de cosmologia e astrofísica. Cristina Bonfiglioli é doutora em ciências da comunicação pela ECA-USP e desenvolve um segundo doutorado junto ao MAC-USP em que pesquisa os laços entre arte, tecnologia e ciência na percepção da paisagem a partir da fotografia aérea e astronômica.

4 de maio: Ficção científica, com Rodrigo Nemmen e Antônio Xerxenesky

Rodrigo Nemmen é físico, professor do IAG-USP e membro afiliado da Academia Brasileira de Ciências. Tem pesquisa nas áreas de astrofísica e buracos negros. Antônio Xerxenesky é escritor, tradutor e doutorando em literatura pela FFLCH-USP. É autor de As perguntas, F (finalista do Prêmio São Paulo e primeira seleção do Prix Médicis Étranger) e A página assombrada por fantasmas.

8 de junho: A noção de beleza, com Pedro Vieira e Sônia Salzstein

Pedro Vieira é físico, coordenador da colaboração Perimeter-ICTP-SAIFR, professor do IFT-Unesp e do Perimeter Institute, no Canadá. Recebeu o prêmio Sackler em 2018 e trabalha nas áreas de integrabilidade e teoria de campos. Sônia Salzstein é crítica de arte e professora de história e teoria da arte moderna e contemporânea na ECA-USP. É autora de Matisse: imaginação, erotismo, visão decorativa e organizadora de Diálogos com Iberê Camargo, entre outros.

 

Por dentro do acervo

Sábados, das 11h às 12h30. Atividade gratuita, lugares limitados; distribuição de senhas 30 minutos antes

Bate-papos sobre os acervos do IMS, em que os curadores e coordenadores conversam com o público sobre suas potências e particularidades.

3 de março: Bia Paes Leme: O acervo de Música

7 de abril: Sergio Burgi: O acervo de Fotografia

5 de maio: Elvia Bezerra: O acervo de Literatura

9 de junho: Julia Kovensky: O acervo de Iconografia

 

O artista em processo

Sábados, das 11h às 12h30. Atividade gratuita, lugares limitados; distribuição de senhas 30 minutos antes

Conversas abertas com artistas sobre sua obra, sua linha de pesquisa e seu processo criativo.

10 de março: Cristiano Mascaro: Como enfrentar a cidade

  • Cristiano Mascaro é fotógrafo. Grande retratista de cidades, recebeu uma Bolsa Vitae de Artes e o Prêmio Especial Porto Seguro pelo conjunto de sua obra. Atualmente, dedica-se a projetos pessoais e à edição de livros autorais, como Viagem a Tóquio, Rio revelado e Portugal.

12 de maio: Dora Longo Bahia: A dimensão política da arte

  • Dora Longo Bahia é artista multimídia. Suas obras tratam de temas como violência, sexo e morte. É doutora em poéticas visuais pela ECA-USP, onde atualmente leciona, com pós-doutorado em filosofia pela FFLCH-USP. Recebeu a Bolsa de Fotografia ZUM/IMS 2016 com o projeto Brasil x Argentina.

 

Fotolivro de cabeceira

Sábados, das 11h às 12h30. Atividade gratuita, lugares limitados; distribuição de senhas 30 minutos antes

Artistas, críticos e curadores conversam com o público sobre seu fotolivro favorito ou aquele que não tem saído de suas cabeceiras, explicando por quê.

21 de abril: Rosely Nakagawa: A Guimarães Rosa, de Maureen Bisilliat

  • Rosely Nakagawa é curadora e editora de artes visuais. Fundou a Galeria Fotoptica em 1979 e coordenou a Casa da Fotografia Fuji. No exterior, foi curadora de mostras no MoMA PS1, no Guggenheim de Nova York e no Centro Metropolitano de Fotografia, em Nagoya, Japão.

19 de maio: Vania Toledo: The Sixties, de Richard Avedon

  • Vania Toledo é fotógrafa. Uma das principais retratistas brasileiras, colaborou na década de 1980 com publicações como Vogue, Interview, Claudia, Veja, IstoÉ, Folha, Estadão, Time e Life. É autora dos livros Homens, Personagens femininos, pelo qual recebeu o prêmio APCA em 1993, e Diário de bolsa.

23 de junho: Waltercio Caldas

  • Waltercio Caldas é um dos principais artistas plásticos brasileiros. Escultor, desenhista e artista gráfico, expôs largamente no Brasil e no mundo. É também autor de livros de artista, como Livro que não sei e, em maior tiragem, Outra fábula, além de ter publicado diversos catálogos sobre sua obra, como Salas e abismos.