Idioma EN
Contraste

Artepensamento dobra número de artigos

11 DE DEZEMBRO DE 2019 |

Desde 1986, o jornalista Adauto Novaes realiza ciclos de conferências que reúnem pensadores de ponta do Brasil e do exterior. Os “ciclos do Adauto”, como ficaram conhecidos, são sinônimos de conhecimento profundo e comunicação fácil.

Essa receita está disponível em larga escala no site Artepensamento, que tem apoio do Instituto Moreira Salles. Quando foi lançado em setembro de 2018, continha 318 ensaios produzidos em 17 ciclos. Na segunda fase, o número de artigos praticamente dobrou: agora são 625. E a quantidade de séries contempladas dobrou de fato, passando a 34. Há textos de 195 autores.

O lançamento da nova etapa acontece em 12 de dezembro, às 19h30, na Livraria da Travessa do Shopping Leblon (Av. Afrânio de Melo Franco, 290, loja 205-A). Participarão de uma conversa com Adauto cinco autores: Antonio Cicero, Luiz Alberto Oliveira, Marcelo Jasmin, Pedro Duarte e Renato Lessa.

Para citar apenas mais alguns, a plataforma digital conta com Sergio Paulo Rouanet, Maria Rita Kehl, José Américo Motta Pessanha, Marilena Chaui, Renato Janine Ribeiro, Robert Darnton, Katia Muricy, Jacques Rancière, Francis Wolff e Ferreira Gullar.

Realizado pelo escritório Estúdio Cru, o site oferece diferentes formas de pesquisa: pelos ciclos, todos identificados por seus respectivos cartazes; pelos anos em que ocorreram; pelos conferencistas e, ainda, por 22 categorias, como ética, história, paixões, política, psicologia e tempo.

 

Artepensamento: novas séries lançadas na segunda fase do site

 

Um dos itens se chama Mutações. Desde a década passada, todas as séries se abrigam sob esse grande guarda-chuva. O conceito de mutações, segundo Adauto, significa que o mundo de hoje não vive crises (política, econômica, da razão), mas uma grande transformação, impulsionada pela revolução tecnológica. Desenvolvido nos ciclos, o conceito foi incorporado por pensadores de outros países, sobretudo franceses.

O site Artepensamento permite visitar capítulos de livros que, derivados de ciclos homônimos, viraram best-sellers: Os sentidos da paixão (1987), O olhar (1988) e Ética (1992). Também possibilita recordar os que suscitaram polêmicas na imprensa, caso de O silêncio dos intelectuais (2006). E verificar que alguns soam ainda mais atuais hoje, como Civilização e barbárie (2004) e Ensaios sobre o medo (2007).

Não entraram na plataforma apenas os seis últimos conjuntos de palestras, pois estão presos a contratos de publicação em livro. Boa parte dos volumes anteriores está fora de catálogo e, portanto, tendia a virar peças de sebo. O site mantém o conteúdo disponível gratuitamente e com navegação simples. Ainda conta com 24 vídeos, feitos em torno de Ética e O silêncio dos intelectuais.


Mais eventos

Mais IMS