O livro, que tem prefácio assinado pelo jornalista Alberto Dines, é uma reunião de 98 textos feitos por Ely Azeredo sobre filmes brasileiros, escritos ao longo dos anos em que atuou na imprensa diária. Desde 1953, Azeredo fez a indispensável mediação entre os produtores e os consumidores de cinema. Sem restrições de gênero ou tendência, ele analisou e pôs em discussão, com igual rigor intelectual, de dramas existenciais a comédias, de filmes alternativos a documentários, de obras de caráter político aos musicais.

O leitor, em Olhar crítico – 50 anos de cinema brasileiro, irá pouco a pouco voltando no tempo, para reencontrar os textos que, no calor da hora, se pronunciaram sobre clássicos do nosso cinema, como, por exemplo, Cidade de DeusÔnibus 174MacunaímaTodas as mulheres do mundoPixoteTerra em transeVidas secas e Floradas na serra, entre muitos outros. Muitos dos filmes analisados por Azeredo neste livro não existem em dvd. Alguns nem chegaram ao vhs e outros correm o risco de extinção. Dessa forma, existe, na publicação, um forte traço de resgate de memória do cinema nacional.

Alguns apêndices completam esta edição: uma sucinta recuperação da trajetória de Ely Azeredo, como crítico, mas também como importante difusor da sétima arte no Brasil; as fichas técnico-artísticas de todos os filmes analisados; as referências bibliográficas utilizadas e um índice completo dos filmes citados.