Cinema

Retrospectiva João Pedro Rodrigues

 

Em conjunto com o lançamento do filme O Ornitólogo, o cinema do IMS-RJ organiza, de 30 de março a 12 de abril, a maior retrospectiva já feita no Brasil da obra do realizador português João Pedro Rodrigues.

No sábado, 8 de abril, João Pedro Rodrigues e seu companheiro de vida e criação artística, João Rui Guerra da Mata, conversarão com Kleber Mendonça Filho após a exibição de O ornitólogo, às 16h30.

A mostra inclui projeções em 35 mm dos longas-metragens O fantasma, Morrer como um homem e Odete. Fazem parte da programação também os filmes dirigidos em parceria com João Rui Guerra da Mata, como China, China, Alvorada Vermelha e A última vez que vi Macau, além de O que arde cura, curta de Guerra da Mata que tem João Pedro Rodrigues como protagonista. No sábado, 8 de abril, após a sessão, às 16h30, de O ornitólogo, os dois realizadores conversarão com Kleber Mendonça Filho.

A retrospectiva tem parceria da Vitrine Filmes e apoio cultural da Embaixada de Portugal no Brasil e do Camões - Instituto da Cooperação e da Língua.

DEBATE

Exibição de O ornitólogo, seguida de debate com João Pedro Rodrigues, João Rui Guerra da Mata e Kleber Mendonça Filho.

8 DE ABRIL, 16h30

 

Filmes e horários de exibição
Os diretores
Textos relacionados


 

FILMES

Parabéns!, de João Pedro Rodrigues
(Portugal, 1997. 15’. Exibição em 35mm)

31 DE MARÇO, 20h
9 DE ABRIL, 17h


Esta é a minha casa
, de João Pedro Rodrigues
(Portugal, 1997. 51’. Exibição em cópia digital)

2 DE ABRIL, 18h
7 DE ABRIL, 18h


Viagem à Expo
, de João Pedro Rodrigues
(Portugal, 1999. 54’. Exibição em cópia digital)

2 DE ABRIL, 18h
7 DE ABRIL, 18h


O fantasma
, de João Pedro Rodrigues
(Portugal, 2000. 90’. Exibição em 35mm)

31 DE MARÇO, 20h
11 DE ABRIL, 20h


Odete
, de João Pedro Rodrigues
(Portugal, 2005. 101’. Exibição em 35mm)

1 DE ABRIL, 17h
5 DE ABRIL, 20h


China, China
, de João Pedro Rodrigues e João Rui Guerra da Mata
(Portugal, 2007. 19’. Exibição em DCP)

1 DE ABRIL, 17h
9 DE ABRIL, 17h


Morrer como um homem
, de João Pedro Rodrigues
(Portugal, França, 2009. 133’. Exibição em 35mm)

1 DE ABRIL, 19h30
12 DE ABRIL, 19h45


Camouflage self-portrait
, de João Pedro Rodrigues
(Portugal, 2008. 3’. Exibição em cópia digital)

12 DE ABRIL, 19h45


Alvorada vermelha
, de João Pedro Rodrigues e João Rui Guerra da Mata
(Portugal, 2011. 27’. Exibição em DCP)

30 DE MARÇO, 20h
8 DE ABRIL, 20h


Manhã de Santo António
, de João Pedro Rodrigues
(Portugal, França, 2012. 25’. Exibição em DCP)

4 DE ABRIL, 18h
8 DE ABRIL, 20h


O que arde cura
, de João Rui Guerra da Mata
(Portugal, 2012. 26’. Exibição em DCP)

6 DE ABRIL, 18h30
9 DE ABRIL, 17h


A última vez que vi Macau
, de João Pedro Rodrigues e João Rui Guerra da Mata
(Portugal, França, 2012. 82’. Exibição em DCP)

30 DE MARÇO, 20h
8 DE ABRIL, 14h


O corpo de Afonso
, de João Pedro Rodrigues
(Portugal, 2013. 32’. Exibição em DCP)

4 DE ABRIL, 18h
8 DE ABRIL, 20h


Mahjong
, de João Pedro Rodrigues e João Rui Guerra da Mata
(Portugal, 2013. 35’. Exibição em DCP)

4 DE ABRIL, 18h
9 DE ABRIL, 17h


Allegoria della prudenza
, de João Pedro Rodrigues
(Portugal, Itália, 2013. 2’. Exibição em DCP)

8 DE ABRIL, 16h30
9 DE ABRIL, 20h


IEC Long
, de João Pedro Rodrigues e João Rui Guerra da Mata
(Portugal, 2014. 31’. Exibição em DCP)

6 DE ABRIL, 18h30
8 DE ABRIL, 14h


O ornitólogo
, de João Pedro Rodrigues
(Portugal, França, Brasil, 2016. 118’. Exibição em DCP)

DE 30 DE MARÇO A 19 DE ABRIL, horários variados
A sessão de 8 de abril, às 16h30, será seguida por um debate com João Pedro Rodrigues, João Rui Guerra da Mata e Kleber Mendonça Filho

 

OS DIRETORES

 

João Pedro Rodrigues

Nasceu em Lisboa, em 1966. Depois de cursar Biologia para se tornar ornitólogo, João Pedro Rodrigues frequentou a Escola Superior de Teatro e Cinema entre 1985 e 1989. Trabalhou em quatro filmes como assistente de realização e montagem entre 1989 e 1996 com alguns nomes conhecidos do meio cinematográfico português, entre eles Teresa Villaverde. Uma das suas primeiras curtas metragens, Parabéns!, de 1997, participou no Festival de Cinema de Veneza no mesmo ano e recebeu uma menção especial do Júri. Em 2000, João Pedro Rodrigues levou o seu primeira longa-metragem, O Fantasma (2000) ao Festival de Cinema de Belfort, onde recebeu o Prêmio para a melhor Longa Metragem Estrangeira. Realizou Odete, longa metragem que recebeu uma Menção Especial dos Cinémas de Recherche em Cannes 2005 e seu mais recente longa-metragem, O ornitólogo, recebeu o prêmio de Melhor Realização no Festival de Locarno, em 2016.

 

 

João Rui Guerra da Mata

João Rui Guerra da Mata nasceu em Lourenço Marques, Moçambique. Começou a trabalhar em cinema em 1995. Foi professor de Art Direction /Production Design na Escola Superior de Teatro e Cinema (ESTC) de 2004 a 2011. Como Art Director/Production Designer trabalhou em vários curtas e longas metragens, destacando-se a colaboração com o realizador João Pedro Rodrigues, em cujos filmes foi também co-roteirista. Foi assistente de direção dos documentários Esta é a minha casa e Viagem à EXPO (1997/1999), do mesmo realizador. Esta colaboração estendeu-se à realização em 2007, tendo co-dirigido os curtas China, China – 39th Quinzaine des Réalisateurs, Cannes, Prêmio de Melhor Curta-Metragem e Prémio do Público do Festival de Belfort; e Alvorada vermelha (2011) – Prêmio de Melhor Curta-Metragem do Festival IndieLisboa, estreia internacional no Festival de Locarno; e o longa-metragem A última vez que vi Macau (2012). Em 2012 realiza O que arde cura, seu primeiro curta-metragem solo, que estreou no Festival IndieLisboa no passado mês de Abril.

 

TEXTOS RELACIONADOS


Todas as formas de desejo
, de Kleber Mendonça Filho

A terceira margem do rio, de José Geraldo Couto

Folheto de abril do cinema do IMS-RJ

 

 

  • IMS Rio de Janeiro

Sessões