Sobre Augusto Malta

Contratado em 1903 como fotógrafo oficial da Diretoria Geral de Obras e Viação da Prefeitura do Distrito Federal, cargo criado especialmente para ele, Malta teve como missão inicial registrar imagens de todas as ruas que teriam seu traçado modificado pelo gigantesco projeto urbanístico do prefeito Pereira Passos, no período conhecido como “bota-abaixo”. Pereira Passos, de quem o fotógrafo se tornou amigo, deixou a prefeitura em 1906, mas Malta conservou-se no posto por mais 30 anos, registrando desde grandes eventos, como a Exposição Nacional de 1908 e a inauguração da estátua do Cristo Redentor (em 1931), até aspectos da vida cotidiana da cidade.

Contratado também, em 1905, pela The Rio de Janeiro Tramway, Light and Power Company Limited – que ficaria popularmente conhecida como Light –, Malta produziu um impressionante conjunto de vistas em negativos de vidro sobre as atividades modernizadoras da empresa na cidade – sobretudo no transporte coletivo, com a implantação dos bondes elétricos, e na iluminação pública. A série é de importância fundamental em sua obra. Trabalho semelhante foi realizado para a mesma empresa, em São Paulo, pelo fotógrafo suíço Guilherme Gaensly, e ambos estão incorporados ao acervo do IMS desde janeiro de 2002, como parte da Coleção Brascan – Cem Anos no Brasil, composta por 15.780 imagens.

O Arquivo Geral da Cidade do Rio de Janeiro, o Museu da Imagem e do Som do Rio de Janeiro e o Arquivo da Light guardam importantes acervos da obra do fotógrafo.

OUTROS ACERVOS

MAIS IMS