Idioma EN
Contraste

Mate com Angu (RJ)

Coletivo audiovisual nascido em 2002 em Duque de Caxias, na Baixada Fluminense, a partir do desejo de provocar a produção e a exibição de imagens e suas implicações sociais e estéticas na realidade e no modo de vida da região. O grupo atua em três frentes distintas e interligadas no terreno do audiovisual: exibição, produção e formação.

Site | Facebook | Instagram | Youtube

Mate reverbera
Ensaios audiovisuais criados na doideira da pandemia

Com o setor cultural duramente prejudicado; com a presença rondante da morte por conta do coronavírus e da penúria financeira; com a necessidade de isolamento e toda sua angústia própria, o Reverbera vem de uma necessidade de continuar produzindo para não morrer por dentro. De continuar artística e laboralmente mostrando que há um sentimento de liberdade que não se curva e não se entrega ao rolo-compressor da opressão e da desesperança.

Com o espectro do fascismo ciscando a área, todo ação cultural hoje é, ainda mais, um ato de coragem e afirmação.

#3 - Fragmentos de um cinema amoroso

Uma arqueologia digital afetiva a partir do remexer em HDs antigos. Instantâneos de cinema, liberdade, experimentação e amizade pelos terreiros, lajes e trens fluminenses. E uma ode-brinde ao cineclubismo dionisíaco

Publicado em 16/9/20

#2 - Todo dia você vai ter que olhar pra isso

Todo dia é dia de domar o medo. Não esquecer de sublimar. Violência, milícia e política na Baixada Fluminense.

Publicado em 25/8/20

#1 - Caminhos Encruzados

Cinema-música-ritual se cruzam e fazem a gira girar nos terreiros da Baixada Fluminense. O Barracão é uma expressão contemporânea dessa história toda.

Publicado em 21/8/20

Fragmentos de uma Onda Conversadora

Em suas andanças na Baixada Fluminense, em rincões do Estado do Rio, no Sul do Pará, no Maranhão, em cantos pela Amazônia, provocamos e fomos provocados por experiências intensas em produção e em formação audiovisual, reverberando uma verve cineclubista em centenas de exibições, oficinas e produção de curtas-metragens.

Nesses anos de caminhada, das coisas que mais vivemos, além de exibir filmes e trocar experiências sobre produção de filmes, foi conversar com pessoas, olho no olho. E talvez aí resida a suspeita de uma chave importante de entendimento e saída: é preciso criar mesmo uma onda conversadora. Um Cinema que chama para um cafezinho, para uma conversa desarmada, para o campo imagético da possível convivência entre os diferentes. Talvez aí, no Cinema popular que o Mate busca, possa existir uma possibilidade real de superação desse momento tenso, onde a violência é automatizada e o discurso conservador e careta ganham cada vez mais terreno. Um Cinema contra o medo.

O chamamento para um papo olho no olho; a busca por um Cinema conversador, que pega ônibus e vai ao pagode; a câmera na mão com malícia e liberdade; uma cerveja tomada num botequim em Caxias… Elementos que pretendemos que estejam na base destes ensaios do Reverbera.

Com direito a um brinde em saudação ao grande mestre Nelson Pereira dos Santos, guru que certa feita já nos abençoou com direito a uma linda e terna piscada de olho e aquele seu sorriso maroto e cúmplice.

@matecomangu, agosto de 2020

Um pouquinho de Mate pra assistir e ler

Mais sobre o Programa Convida
Artistas e coletivos convidados pelo IMS desenvolvem projetos durante a quarentena. Conheça os participantes:

A · B · C · D · E · F · G · H · I · J · K · L · M · N · O · P · Q · R · S · T · U · V · W · X · Y · Z