Idioma EN
Contraste

A fotografia através da literatura e vice-versa

IMS Paulista fechado por tempo indeterminado. Confira as informações mais recentes sobre alterações no funcionamento do IMS durante a pandemia do novo coronavírus (covid-19)

Este curso explora algumas das tantas relações entre fotografia e literatura, buscando investigar os limites entre uma arte e outra – ou, mais precisamente, a zona de deslizamento entre ambas, ali onde as formas de uma se transformam nas da outra, ali onde a palavra exige a imagem ou se faz imagem, e vice-versa. Assim, a cada aula, examinaremos em paralelo as obras de dois autores (tanto escritores como fotógrafos), com direito a digressões por outras obras sempre que necessário, de modo a iluminar tais deslizamentos entre literatura e fotografia, que se revelarão também, ao longo do curso, deslizamentos entre texto e imagem, écfrase e ilustração, inconsciente e consciente, eu e outro, história e ficção.

Este curso não exige conhecimento prévio acerca dos temas que serão abordados.

Montagem com páginas de livros do alemão W.G. Sebald em que há o uso de fotografias aliadas ao texto. Por Institute for Cultural Inquiry.

Sobre Veronica Stigger

Veronica Stigger é escritora, crítica de arte, curadora independente e professora universitária. Doutora em teoria e crítica de arte pela USP, realizou pesquisas de pós-doutorado junto à Università degli Studi di Roma “La Sapienza”, ao MAC-USP e ao IEL-Unicamp. Atualmente, é professora das pós-graduações em História da Arte, em Fotografia e em Práticas Curatoriais da Faap. Foi curadora, entre outras, das exposições Maria Martins: metamorfoses, O útero do mundo (ambas no MAM-SP) e, com Eduardo Sterzi, Variações do corpo selvagem: Eduardo Viveiros de Castro, fotógrafo(Sesc). Entre seus livros de ficção estão Opisanie świata (prêmios da Biblioteca Nacional e São Paulo de Literatura), Sul (prêmio Jabuti) e Sombrio ermo turvo.


Como participar

Aulas suspensas devido à pandemia do novo coronavírus (covid-19): equipe responsável pelos cursos e oficinas entrará em contato com os inscritos para esclarecer as dúvidas.

Quando
Datas a definir. As inscrições serão reembolsadas e as pessoas inscritas anteriormente terão prioridade de matrícula quando a atividade for remarcada.
45 vagas.

R$ 200 por 4 aulas.
Estudantes, professores e maiores de 60 anos têm 50% de desconto em todos os cursos, mediante apresentação de documento comprobatório no dia do evento.


Programa

1) Fotografia, psicanálise, surrealismo

Mário de Andrade produziu inúmeras fotografias, muitas delas registradas em suas viagens. Jorge de Lima realizou uma série de fotomontagens na década de 1940. Tanto em um quanto em outro escritor, há algo de surrealista em seus registros e produções. Mário, por exemplo, intitula uma de suas fotos “Roupas freudianas”. E Jorge de Lima se vale, em geral, de aproximações inusitadas, no melhor estilo proposto por Lautréamont: “Belo como o encontro fortuito, numa mesa de dissecação, de uma máquina de costura e um guarda-chuva”.

 2) Fotografias e autopsicografias

Os artistas-fotógrafos Helena Almeida e Jorge Molder lançam mão do expediente fotográfico para múltiplas encenações do eu. Em Almeida, a fotografia é o produto final de uma performance em que as movimentações e metamorfoses de seu próprio corpo é central. Molder produz séries de fotografias em que encarna um ou mais personagens, por meio de transformações de sua própria fisionomia, muitas vezes em diálogo com a literatura, evocando autores como Joseph Conrad, Samuel Beckett, Carlo Collodi etc.

3) Fatos, fotos, fantasmas

Os escritores Mario Bellatin e W.G. Sebald inserem, muitas vezes, fotografias em meio a seus livros de ficção. Em seus textos, as imagens costumam assumir a feição de “provas” de uma suposta veracidade da narrativa, como se fossem documentos, ainda que, na maioria das vezes, elas sejam tão ficcionais quanto as palavras.

4) Da foto ao texto, do texto à foto: écfrases, ilustrações, traduções

No último encontro, observaremos como se dá a passagem da fotografia ao texto literário e vice-versa. Para tal, examinaremos, por um lado, como a fotografia, via écfrase, é transposta para o texto literário, como em algumas passagens de Roberto Bolaño. Por outro, veremos como o texto literário se transmuta em imagem, como nos trabalhos da fotógrafa Maureen Bisilliat.

 


A série Histórias da fotografia

Como alternativa a uma história da fotografia única e cronológica, esta série revê a produção fotográfica através de temas e questões transversais, como a arte, as exposições, a imprensa, as ciências humanas, a moda, a fotografia amadora, a arquitetura, o cinema, o retrato indígena e as discussões raciais.


Mais eventos

Mais IMS