Idioma EN
Contraste

II Fórum de Acessibilidade

Convergências entre arte, educação e saúde

Ciclo de conversas

Sobre as relações entre a arte, educação e saúde nas instituições culturais

Quando

22, 23, 29 e 30 de setembro de 2020, terças e quartas, das 18h às 19h30

Evento online | Grátis

Não é necessário se inscrever antecipadamente. Mais informações abaixo.

Nos dias 22, 23, 29 e 30 de setembro de 2020, a área de Educação do IMS realiza o II Fórum de Acessibilidade. Um ciclo de encontros virtuais com o objetivo de fomentar conversas sobre as relações entre arte, educação e saúde nas instituições culturais.

As questões relacionadas à acessibilidade estão cada vez mais presentes nos museus e equipamentos culturais. O acolhimento da diversidade de pessoas que frequentam museus amplia as discussões urgentes sobre as necessidades de adaptação física dos espaços, a quebra de barreiras atitudinais e comunicacionais e, principalmente, o desmanche de barreiras simbólicas que inibem o acesso das pessoas às instituições.

A pandemia da COVID-19 restringiu o convívio, criando novas dinâmicas sociais. As práticas de visitação às instituições culturais demandaram ressignificações e novos desafios têm se apresentado no processo de conversão do museu ao virtual. O esforço contínuo em tornar acessível a programação cultural encontra novos paradoxos. De que maneira essa adaptação das instituições reforça as barreiras que limitam o direito das pessoas à vida cultural? Em que medida o acesso aos conteúdos artísticos e educacionais nas plataformas digitais são efetivas?

Para além disso, as instituições culturais ocupam o papel de memória, difusão, conservação e vivência artística, de pulsão educativa e se amplia como um lugar possível de promoção da saúde mental. Qual a consequência desse processo para as pessoas que historicamente têm seus acessos negados? Essas e outras discussões serão tratadas no Fórum, que contará com convidados de diferentes territórios e áreas de atuação.

Programação

22 de setembro, terça, às 18h

Museu, acesso e relação

Daina Leyton (Consultora de acessibilidade cultural - SP)
Mario Chagas (Museu da República - RJ)
Mediação: Janis Clémen

A conversa inaugural do II Fórum de Acessibilidade propõe uma reflexão sobre os desafios impostos aos equipamentos culturais na conjuntura da pandemia e pós pandemia, no campo presencial e na readequação de trabalho para o virtual.

A partir da perspectiva de que os museus não existem em si mesmos, mas na relação entre e com os sujeitos e a comunidade, como reconfigurar as proposições de modo a assegurar o acesso, acolhimento e o bem-estar? Como criar possibilidades de experiências construtivas e significativas aos seus diversos públicos?

Convidamos Daina Leyton e Mario Chagas a compartilhar seus saberes, pensamentos, ideias sobre esse contexto atual e como o museu pode colaborar com as novas formas de viver em sociedade.

Para participar, basta clicar no link abaixo no dia e horário do evento

23 de setembro, quarta, às 18h

O Protagonismo da pessoa com deficiência

João Maia (Fotógrafo - SP)
Rogério Andreolli (Conselheiro Municipal de Cultura na cadeira de Expressão das Artes das Pessoas com Deficiência)
Mediação: Jhonny Medeiros

A mesa O protagonismo da pessoa com deficiência tem como intenção refletir sobre a invisibilização das pessoas com deficiência pelas instituições dominantes da sociedade como consequências do capacitismo. Sendo assim, como medidas inclusivas podem provocar mudanças nas estruturas socioculturais atuais? Como mudar a paisagem das instituições no intuito de assegurar oportunidades de protagonismo às pessoas com deficiência? Qual a importância e como criar novos fluxos de relação, em um cenário pós pandêmico, pela perspectiva da interdependência?

Para participar, basta clicar no link abaixo no dia e horário do evento

29 de setembro, terça, às 18h

Saúde e Políticas Públicas no contexto das instituições culturais

Patrícia Villas-Bôas (professora no Sedes Sapientiae - SP)
Ciça Cordeiro (coordenadora de comunicação da SMPED - SP)
Mediação: Anna Clara Hokama

A mesa Saúde e Políticas Públicas no contexto das instituições culturais, convida Ciça Cordeiro e Patrícia Villas Bôas para um diálogo sobre o papel desses espaços na promoção da acessibilidade e da saúde mental em suas relações entre arte, saúde e políticas públicas. Pretende-se, ainda, refletir sobre os efeitos da pandemia nesses contextos.

Para participar, basta clicar no link abaixo no dia e horário do evento

30 de setembro, quarta, às 18h

Acessibilidade como prática educativa

Viviane Sarraf (Museus Acessíveis - SP)
Fábio de Sá (CES Rio Branco - SP)
Mediação: Júnior Ahzura

O diálogo proposto pela mesa Acessibilidade como prática educativa pretende apontar possíveis estratégias na promoção do acesso e bem estar das pessoas com deficiência nos equipamentos culturais. Bem como, as relações e formações de vínculo construídas entre instituições de ensino formal e espaços de educação não formal, visando não reafirmar as barreiras atitudinais, comunicacionais e simbólicas.

Para participar, basta clicar no link abaixo no dia e horário do evento

Sobre os participantes

Daina Leyton
Educadora, psicóloga e professora. Consultora de acessibilidade cultural e de programas educativos. Concebeu a acessibilidade do Museu de Arte Moderna de São Paulo, onde coordenou o educativo de 2011 a 2020. Foi curadora do programa Poéticas do Acesso no Sesc Belenzinho e de outros programas de cultura, educação e promoção de saúde.

Mario Chagas
Poeta, museólogo e cientista social. Participou da criação do Programa Nacional de Educação Museal e do Programa Pontos de Memória. Atualmente é diretor do Museu da República, presidente do MINOM, professor da Unirio, professor colaborador do PpgMuseu (UFBA) e professor visitante da ULHT. Foco no campo da museologia social e das práticas sociais de memória, política cultural e patrimônio.

Rogério Andreolli
Ator, bailarino profissional e psicólogo. Teve poliomielite aos 9 meses de idade. Ativista no movimento cultural e artístico das pessoas com deficiência. Cofundador da Pulsar Cia. de Dança, ministra workshops e palestras sobre inclusão sociocultural das pessoas com deficiência através da arte. Fundador e atual presidente do Very Special Arts do Brasil (Artes sem Barreira).

Patrícia Villas-Bôas
Psicóloga e psicanalista, mestre em Psicologia da Arte pela USP e docente de especialização em Saúde Mental do Instituto Sedes Sapientiae.

Ciça Cordeiro
Jornalista e coordenadora de Comunicação na Secretaria Municipal da Pessoa com Deficiência. Foi assessora Parlamentar na CMSP, assessora editorial na Editora Globo, onde criou e coordenou o Prêmio Globo de Jornalismo. Trabalhou como assessora de imprensa em diversas publicações, como as revistas Bravo! e República.

Viviane Sarraf
Especialista em Museologia pelo CEMMAE-USP, é coordenadora do GEPAM – Grupo de Estudo e Pesquisa de Acessibilidade em Museus. Fundadora e consultora da Empresa Social Museus Acessíveis, professora colaboradora e orientadora do Programa de Pós Graduação Multidisciplinar em Culturas e Identidades Brasileiras do IEB-USP. Foi professora convidada do PPGMus-USP, do Curso de Especialização em Acessibilidade Cultural da UFRJ, criadora e curadora do Centro de Memória Dorina Nowill da Fundação Dorina Nowill para Cegos.

Fábio de Sá
Poeta surdo, professor de Libras na PUC-SP e CES Rio Branco, ator, narrador. Desenvolve pesquisa poética em Libras a partir do conceito Visual Vernacular, a qual já apresentou na França, no Chile, na Colômbia e no Brasil. Ministrou workshops de VV - Visual Vernacular em Japão, Costa Rica, Colômbia, Chile e Brasil.

João Maia
Fotógrafo, nasceu em Bom Jesus do Piauí. Aos 28 anos foi acometido pela uveíte bilateral, passando a enxergar vultos e perceber cores. Assim que perdeu parte da visão, envolveu-se com o Movimento Paralímpico. Foi atleta de arremesso de peso e lançamento de dardo e disco durante sete anos. Sua realização pessoal se deu quando conheceu a fotografia e passou a registrar, como fotógrafo, o movimento paralímpico.

Daina Leyton, Mario Chagas, João Maia, Rogério Andreolli, Patrícia Villas-Bôas, Ciça Cordeiro, Viviane Sarraf e Fábio de Sá.

Como participar

Evento online. Grátis.
Não é necessário se inscrever antecipadamente.
Lugares limitados. A capacidade máxima de pessoas por conversa, no Zoom, é de 500 pessoas.

Quando
22, 23, 29 e 30 de setembro, das 18h às 19h30

Onde
O evento online acontecerá na plataforma Zoom.
Todas as conversas serão transmitidas no mesmo link.
Para participar, basta clicar no link na hora do evento.
Entrar na sala do evento (plataforma Zoom)

Todas as conversas serão gravadas e disponibilizadas, posteriormente, nos canais do IMS.

Recursos de Tecnologia Assistiva
Intérprete de Libras
Legendagem em português

Acessibilidade no IMS

O projeto de acessibilidade para pessoas com deficiência física, auditiva e visual está em fase de implantação no IMS, recebendo consultoria de especialistas.

Área de Educação

A Área de Educação do IMS formula e realiza programas para as suas três unidades: Rio de Janeiro, Poços de Caldas e São Paulo, alinhando ações para promover a fruição de exposições diversas, incluindo as mostras dos acervos do IMS. Os programas são dirigidos aos mais variados públicos, de diferentes perfis e faixas etárias, visando a sensibilização, o estímulo à experiência artística e estética, o incentivo ao pensamento crítico e reflexivo sobre arte, cultura e memória, em especial sobre a imagem fotográfica. São atividades frequentes as visitas mediadas, os ateliês de férias, os projetos continuados em parceria com escolas, e com associações e lideranças comunitárias, encontros com professores, formação interna, atividades para famílias e ações de acessibilidade.

Acompanhe novidades, vídeos e programações no perfil imseduca no Instagram.

Fim das informações sobre o Fórum de Acessibilidade