Letizia Battaglia: Palermo

Exposição

Entrada gratuita
30 de setembro de 2018 a 17 de fevereiro de 2019

IMS Rio

Galeria Marc Ferrez

Rua Marquês de São Vicente, 476
Gávea - Rio de Janeiro/RJ

Horário

Terça a domingo e feriados (exceto segunda), das 11h às 20h

Contato

(21) 3284-7400
imsrj@ims.com.br

IMS NO 2º TURNO DAS ELEIÇÕES: no domingo, 28 de outubro, as unidades do Instituto no Rio e em Poços de Caldas estarão fechadas ao público. O IMS Paulista funcionará das 10h às 20h, à exceção das sessões de cinema, que serão canceladas neste dia.

Apresentação

Desde 1971, quando começou a fotografar, a obra de Letizia Battaglia permanece estritamente ligada à cidade de Palermo. Como editora de fotografia do cotidiano L’Ora, a partir de 1974, documentou os conflitos que abalaram a cidade, especialmente nas décadas de 1970 e 1980, na época mais violenta da “guerra da Máfia”. São imagens extremamente intensas, amiúde brutais, sem dúvida entre as suas fotografias mais conhecidas. Mas Battaglia documentou também a vida dos bairros pobres de Palermo, os movimentos políticos, o despertar de novos comportamentos sociais, produzindo imagens que se tornaram icônicas. Sempre encarou a fotografia como instrumento de intervenção e de denúncia social; a isso se une uma extraordinária força expressiva e um apuro formal, que marcam suas fotos com uma assinatura inconfundível e a tornaram um dos nomes mais importantes da fotografia europeia de sua geração.

Em 1985, quando recebeu o prêmio W. Eugene Smith for Humanistic Photography, estava engajada nos protestos contra a máfia e seus conluios com o poder público, conhecidos como “primavera de Palermo”. No mesmo ano, tornou-se secretária de cultura pelo Partido Verde. Nessa função, que exerceu até 1991, teve um papel importante na recuperação do centro histórico de Palermo. Nos anos seguintes, retomou a fotografia, foi deputada da Assembleia Regional da Sicília e se dedicou à edição, publicando as revistas Grandevú (uma fanzine que teve um papel importante para os movimentos sicilianos de contracultura) e Mezzocielo (dedicada exclusivamente a obras e textos de mulheres), além de criar a editora Edizioni della Battaglia, centrada em poesia, literatura, ensaios de sociologia e política ligados à região siciliana.

A exposição no IMS Rio tem curadoria de Paolo Falcone, especialista da obra da fotógrafa, e é uma adaptação da mostra montada em Palermo (Cantieri Generali della Zisa) e em Roma (Maxxi). Com apoio do Instituto Italiano de Cultura do Rio de Janeiro, Departamento de Cultura do Município de Palermo e Fundação Sambuca reúne 58 imagens, exemplares de publicações e vídeos, entre eles o documentário La mia Battaglia (2016), do cineasta siciliano Franco Maresco. Em 2019 a mostra será apresentada no IMS Paulista, com 90 fotografias.

Curadoria

Paolo Falcone

Na internet

palermo.ims.com.br
#expopalermo

Imprensa

(11) 3371-4455
comunicacao@ims.com.br

Visitação

Entrada gratuita
30 de setembro de 2018 a 17 de fevereiro de 2019

Terças a domingos e feriados (exceto segundas), das 11h às 20h.

IMS Rio
Rua Marquês de São Vicente, 476
Gávea - Rio de Janeiro/RJ


Obras


Vídeos


Catálogo

Letizia Battaglia: Palermo

O catálogo da mostra reúne imagens da fotógrafa italiana captadas ao longo de sua carreira. A mostra apresenta fotografias sobre a Guerra da Máfia em Palermo, especialmente nas décadas de 1970 e 1980, e também registros do cotidiano, da vida cultural e das transformações da cidade. Em preto e branco, as imagens de Letizia, que sempre encarou a fotografia como instrumento de intervenção e denúncia social, contam uma parte da história de Palermo, capital da Sicília, cidade onde nasceu e que marcou profundamente toda sua obra. 

220 páginas. Formato: 21 x 28 cm
R$114,50


Sobre Letizia Battaglia

Nascida em março de 1935 em Palermo, Letizia Battaglia fez da cidade siciliana o objeto de sua arte. Foi a primeira repórter fotográfica da Itália a cobrir o noticiário policial, e durante 30 anos suas lentes revelaram principalmente o terror implantado pela máfia local, embora não apenas isso. Nos últimos anos, as homenagens à fotógrafa se multiplicaram (ela conquistou o Erich-Salomon Preis, em 2007, e o Cornell Capa Infinity Award, em 2009). Em 2016, após anos de negociações com a administração pública, conseguiu realizar um de seus maiores projetos: a criação de um Centro Internacional de Fotografia num espaço até então abandonado das docas de Palermo. O Centro, além de promover exposições e oficinas, abrigará o arquivo fotográfico da cidade, que já conta com doações de mais de 150 fotógrafos.


Eventos paralelos

Não há novos eventos previstos.


Montagem no IMS Rio


Itinerário da exposição

A mostra será exibida no IMS Paulista em 2019.


Sobre os acervos