A palavra

Ordet

Direção

Carl Theodor Dreyer

Informações

Dinamarca
1955. 125min. 14 anos

Formato de exibição

DCP

Em 1925, Morten Borgen (Henrik Malberg), devoto patriarca de uma família de fazendeiros no interior da Dinamarca, vive atormentado pela doença mental de Johannes (Preben Lerdorff Rye), um de seus filhos, que, após intenso estudo sobre a obra do teólogo Søren Kierkegaard, passa a espalhar a palavra de Deus, como uma encarnação de Jesus Cristo. Enquanto isso, o filho caçula de Morten apaixona-se pela filha do alfaiate e pastor da cidade, que prega uma fé dura que vai contra a “felicidade cristã” da família. Os conflitos são agravados quando Inger (Birgitte Federspiel), nora de Morten, que está para dar à luz ao terceiro filho com o agnóstico primogênito Mikkel (Emil Hass Christensen), sofre de complicações durante o parto e falece junto com o recém-nascido.

Este drama familiar, adaptado de uma peça de 1925 do teatrólogo e pastor luterano Kaj Munk, contrapõe fé e cristianismo, expondo a hipocrisia da religião institucionalizada. O penúltimo longa do canônico cineasta dinamarquês Carl Theodor Dreyer de A paixão de Joana D’Arc (1928) e Dias de ira (1943), entre outros – foi uma preparação para um ambicioso projeto de filmar a vida de Jesus Cristo, que não conseguiu levar adiante por falta de financiamento. Atualmente, é considerado uma obra-prima de concisão narrativa, na qual suaves movimentos de câmera e diálogos sucintos trabalham com elegância para levar ao espectador uma visão clara do lugar da fé no mundo moderno.

A palavra será projetado em uma nova cópia em DCP da restauração digital feita pelo Danske Filminstitut (Instituto Dinamarquês de Cinema), lançada no Festival de Berlim este ano. Será exibida pela primeira vez no Brasil no IMS.


Programação

Não há sessões previstas para esse filme no momento.


Debate

IMS Rio
6 de julho de 2019, às 17h30
Sessão seguida por debate com Laura Erber, Mariana Shellard e Aaron Cutler

IMS Paulista
18 de julho de 2019, às 20h30
Sessão com apresentação de Laura Erber

Laura Erber, nascida no Rio de Janeiro, é escritora, artista, editora e professora da UniRio, onde leciona teoria e história da arte. Autora de Insones (7Letras, 2002), Vazados & molambos (Editora da Casa, 2008), Köper und age (Merz-Solitude, 2005), Os corpos e os dias (Editora de Cultura, 2009), A retornada (Relicário, 2017), Theadoro Theodor (Quelônio, 2018) e do romance Esquilos de Pavlov (Alfaguara, 2014).  É autora dos infantis Nadinha de nada (Companhia das Letrinhas, 2016) e, em parceria com Maria Cristaldi, O incrível álbum de Picolina (Peirópolis, 2013). Colabora em diversos jornais e revistas, entre eles Suplemento de Pernambuco, Folha de S.Paulo, Pessoa e ZUM. Seus trabalhos artísticos foram expostos na Fundació Miró, no Grand Palais de Paris, na Casa Europeia da Fotografia, no Iaspis, no Museu de Arte Moderna do Rio de Janeiro e no Centro Cultural Banco do Brasil, entre outros. Em 2015, fundou com Karl Erik Schøllhammer a Zazie Edições, editora independente e sem fins lucrativos, voltada para a democratização do acesso à bibliografia contemporânea nas áreas de literatura, artes visuais, filosofia, teoria da imagem, antropologia e campos afins. É doutora pela PUCRio, com tese sobre a relação entre palavra e imagem no cinema do Carl Theodor Dreyer. 

Aaron Cutler e Mariana Shellard são curadores da Sessão Mutual Films.


Ingressos

Os ingressos para as sessões de cinema do IMS são vendidos nas bilheterias dos centros culturais e no site ingresso.com.

As bilheterias vendem ingressos apenas para as sessões do dia. No site, as vendas são semanais: a cada quinta-feira são liberados ingressos para as sessões que acontecem até a quarta-feira seguinte.

IMS Paulista
R$8 (inteira) e R$4 (meia).
Bilheteria: de terça a domingo, das 10h até o início da última sessão de cinema do dia, na Praça, no 5º andar.

IMS Rio
R$8 (inteira) e R$4 (meia).
Bilheteria: de terça a domingo, das 11h até o início da última sessão de cinema do dia, na recepção.