Idioma EN
Contraste

Atlantique

Direção

Mati Diop

Informações

Bélgica, França, Senegal
2019. 104min. 14 anos

Formato de exibição

DCP

Na região costeira de Dacar, no Senegal, um prédio imponente e futurista está prestes a ser inaugurado. Sem remuneração há meses, os operários decidem deixar o país por mar em busca de um futuro melhor. Entre eles, Souleiman, o amante de Ada, que tem 17 anos e foi prometida em casamento para outro homem.

Em 2019, Atlantique recebeu o Grande Prêmio do Júri no Festival de Cannes. Em sua 72ª edição, foi a primeira vez que a sessão competitiva do festival selecionou o trabalho de uma diretora de origem africana. É o longa de estreia da cineasta, que trabalhou como atriz por mais de uma década, com papéis em filmes de Claire Denis (35 doses de rum), Antonio Campos (Simon assassino) e Matías Piñeiro (Hermia & Helena). Como curta-metragista, realizou Mille soleils [Mil sóis], sobre o ator Magaye Niang, protagonista de Touki Bouki, a viagem da hiena, do senegalês Djibril Diop Mambéty, tio da diretora. Atlantique é também o nome de seu primeiro curta, um híbrido de documentário e ficção que já explorava alguns dos temas abordados no longa.

“No curta, a dimensão fantástica já estava presente, mas de uma maneira muito menor”, conta a diretora à revista Film Comment. “O curta já tinha um aspecto de história fantasma. Mas depois disso fui muito influenciada pela primavera senegalesa, que aconteceu seis meses após a primavera árabe. Eu sabia que queria fazer um filme fantasma sobre a situação da imigração, mas os eventos da primavera de Dacar me trouxeram o aspecto vital de Atlantique. Eu precisava falar sobre essa geração perdida a partir desse novo capítulo. Senti em minha imaginação que a juventude que eu via nas ruas, [envolvida em] incêndios e protestos, era habitada pela perda de todos os garotos que desapareceram. Eu senti que havia uma ligação invisível entre esses dois períodos, que os meninos que deixaram Dacar para ir à Espanha e que morreram no mar levaram algo dos vivos com eles. E que aqueles jovens, que em 2012 estavam nas ruas gritando e pedindo mudanças, também foram alimentados por essa perda. Tentar fazer coexistir esses dois capítulos, esses dois momentos precisos de Dacar, no Senegal, era algo que me interessava.”

Leia a entrevista completa.

Cena de "Atlantique", de Mati Diop
Cena de Atlantique, de Mati Diop

Programação

Não há sessões previstas para esse filme no momento.


Ingressos

Vendas exclusivamente online. Não haverá vendas na bilheteria.

IMS Paulista
R$ 8 (inteira) e R$ 4 (meia).

IMS Rio
R$ 8 (inteira) e R$ 4 (meia).


Mais cinema

Mais IMS