Nosferatu - Uma Sinfonia do Horror

Nosferatu

Direção

Friedrich Wilhelm Murnau

Informações

Alemanha
1922. 88min. 14 anos

Formato de exibição

DCP

Sessões especiais

Trilha original ao vivo com Hans Brandner e Marcelo Falcão


Sinopse

Em parceria com o Goethe-Institut, o IMS Paulista apresenta três sessões de Nosferatu – Uma Sinfonia do Horror (1922), marco do cinema alemão dirigido por Friedrich Wilhelm Murnau. O longa-metragem será projetado nos dias 12, 13 e 14 de junho, às 20h30, no cineteatro do centro cultural. As exibições contarão com trilha sonora ao vivo, executada por nove músicos. O grupo tocará as composições originais do filme, que foram reconstituídas pelo pianista Hans Brandner e pelo regente Marcelo Falcão. Essa é a primeira vez que o longa-metragem é exibido no Brasil com sua trilha sonora original completa ao vivo.

Nosferatu é uma adaptação do famoso romance Drácula, de Bram Stoker, embora com nomes de personagens e lugares alterados, pois os herdeiros do escritor não autorizaram Murnau a adaptar a obra. As músicas do filme foram compostas por Hans Erdmann (1888-1942) para serem tocadas durante as exibições, prática comum no período do cinema mudo. Devido a problemas de direitos autorais, a trilha foi desmembrada e a maioria das partituras se perdeu. Após um trabalho de pesquisa na Alemanha, Hans Brandner e Marcelo Falcão reconstituíram a trilha original do longa, que será executada nas sessões no IMS Paulista, sob a regência de Falcão.

Rodado em 1922, Nosferatu é considerado um dos primeiros representantes do gênero do terror no cinema. O filme narra a história de Hutter, agente imobiliário que, a pedido de seu chefe, viaja ao encontro de um novo cliente, o conde Orlok. O conde, na verdade, é um vampiro milenar que espalha o terror na região de Bremen, na Alemanha, e se apaixona por Ellen, a noiva de Hutter.

Parceria:


Trilha original ao vivo

Nosferatu teve uma trilha sonora própria, composta por Hans Erdmann, logo desmembrada por problemas de direitos autorais. Recentemente, o pianista Hans Brandner e o regente Marcelo Falcão reconstituíram a trilha original, em um arranjo para nove músicos, que executam ao vivo nas três sessões.

Exibição pela primeira vez no Brasil com a trilha original.

Marcelo Falcão é mestre em regência orquestral pela Royal Welsh College of Music and Drama. Especializou-se em música contemporânea pelo Conservatorio della Svizerra Italiana e é bacharel em musicologia e história da arte pela Humboldt Univeristät Berlin. Regeu orquestras na Alemanha, Brasil, Itália, Hungria, Rússia, Suíça e Reino Unido. Atualmente é regente no Ateliê Contemporâneo do Theatro Municipal de São Paulo.

Hans Brandner estudou piano com Natalia Gussewa e é diplomado pela Associated Board of Royal Schools of Music. Como pianista se apresenta regularmente acompanhando cinema mudo, tendo realizado tournées na Alemanha, Brasil e China.

Camerata Tonspur
Samuel Mello (violino)
Eder Assunção (viola)
Rodrigo Prado (violoncelo)
Luciana Campanhã Pozatto  (flauta)
Guilherme Macabeli (clarinete)
Rodrigo Rodrigues (fagote)
Danilo Oliveira Oya (trompete)
Jonatas Silva (percussão)
Hans Brandner (órgão)
Marcelo Falcão (regência)

Programação

Não há sessões previstas para esse filme no momento.


Ingressos

IMS Paulista
R$4 (inteira) e R$2 (meia).
Os ingressos antecipados estão esgotados. Haverá uma cota de ingressos à venda no dia de cada sessão, a partir das 10h, na bilheteria do IMS Paulista.
As vendas presenciais estão limitadas a 2 ingressos por pessoa.
A bilheteria está localizada na Praça, no 5º andar.