O criado

The Servant

Direção

Joseph Losey

Informações

Reino Unido
1963. 116min. 14 anos

Formato de exibição

DCP

Programação paralela

O aristocrata Tony se muda para Londres e contrata Hugo Barrett para realizar todos os serviços domésticos. Barrett parece ser um empregado leal e competente, mas Susan, namorada de Tony, pede que ele seja demitido.

Além de retratar a tensão de classes, O criado encenava uma forte tensão sexual entre os personagens de Tony e Hugo. O roteiro foi escrito por Harold Pinter a partir do romance homônimo de Robin Maugham. Pinter, que em 2005 receberia o Nobel de Literatura, comenta sobre o início de sua longa parceria com Joseph Losey, em entrevista à revista Time Out:

“Eu estava escrevendo peças de teatro à época e tinha começado a ter textos montados por Peter Hall na Royal Shakespeare Company. De todo modo, Joe me pediu para vê-lo e disse: ‘Eu gosto do seu roteiro’. Eu disse: ‘Oh, obrigado’. E ele disse: ‘Mas tem algumas coisas que eu não gosto nele’. E eu disse: ‘Que coisas?’. E ele me contou. Então eu disse: ‘Está bem, então, por que você só não vai lá e faz mais um filme?’ E fui embora. Dois dias depois, ele me ligou e disse: ‘Olha, por que não tentamos começar de novo?’. E eu disse: ‘Está bem’. Trabalhamos juntos por cerca de 30 anos, e nunca mais tivemos outro desentendimento.”

Sobre o roteirista, Losey teria comentado: "As palavras de Pinter são poucas, econômicas, precisas... Pinter também apreciava a utilidade da frase acidental, que se ouve por acaso, o diálogo como efeito sonoro. Ele entende com que frequência seres humanos usam as palavras para atravancar a comunicação."

Leia a íntegra da entrevista de Harold Pinter, em inglês

[A citação de Joseph Losey foi retirada do livro Joseph Losey: A Revenge on Life, de David Caute. Oxford University Press, 1994, p. 5]

O criado acompanha as exibições de Roma, de Alfonso Cuarón, no Cinema do IMS. Nas palavras de Kleber Mendonça Filho, tratam-se "essencialmente dois estudos em preto e branco sobre personagens que trabalham servindo em sociedades totalmente distintas."


Programação

Não há sessões previstas para esse filme no momento.


Ingressos

Os ingressos para as sessões de cinema do IMS são vendidos nas bilheterias dos centros culturais e no site ingresso.com.

As bilheterias vendem ingressos apenas para as sessões do dia. No site, as vendas são semanais: a cada quinta-feira são liberados ingressos para as sessões que acontecem até a quarta-feira seguinte.

IMS Paulista
R$8 (inteira) e R$4 (meia).
Bilheteria: de terça a domingo, das 10h até o início da última sessão de cinema do dia, na Praça, no 5º andar.

IMS Rio
R$8 (inteira) e R$4 (meia).
Bilheteria: de terça a domingo, das 11h até o início da última sessão de cinema do dia, na recepção.