BOLSA IMS DE PESQUISA EM FOTOGRAFIA


Edição 2018

Com o objetivo de estimular o estudo da história da fotografia brasileira e das obras do seu acervo, o Instituto Moreira Salles promoveu a primeira edição da Bolsa IMS de Pesquisa em Fotografia em 2018. Foi selecionado um projeto inédito baseado na produção de Marc Ferrez (1843-1923), um dos mais importantes fotógrafos brasileiros do século XIX, cuja obra está sob a guarda do IMS desde 1998.

A edição 2018 recebeu um total de 45 projetos, a maioria encaminhada por pesquisadores do Rio e de São Paulo, mas houve também inscrições de candidatos do Rio Grande do Sul, Minas Gerais, Distrito Federal e Pernambuco.

Inscrições encerradas
As inscrições aconteceram de 16 de julho a 31 de agosto de 2018, e o resultado final foi divulgado em outubro de 2018.


Projeto selecionado

Com o projeto Tempo, linha, encruzilhada. Um estudo sociotécnico sobre fotografia e modernidade na obra de Marc Ferrez, o pesquisador Samuel Leal Barquete foi escolhido vencedor da Bolsa IMS de Pesquisa em fotografia. Inscrito na categoria ‘Ferrovias’ (os interessados na bolsa podiam optar também por projetos baseados no ‘Empresário da imagem’ ou nos ‘Anos de formação e início da trajetória’ do fotógrafo), Samuel nasceu em Ribeirão Preto, reside no Rio de Janeiro, é formado em Antropologia (Unicamp), com mestrado em Sociologia (UFRJ) e doutorado em cinema (UFF).

Após a conclusão do projeto, cuja duração máxima é de um ano, Samuel Barquete apresentará um relatório final e um artigo de conclusão do trabalho, além de proferir uma palestra aberta ao público sobre os resultados de seu projeto, em local a ser definido pelo IMS.


Eixos temáticos

Os projetos inscritos devem se basear em um dos seguintes eixos temáticos: “Ferrovias na obra de Marc Ferrez”; “Marc Ferrez empresário da imagem” e “Marc Ferrez, anos de formação e início de trajetória (1863-1875)”. O primeiro tema compreende os registros feitos pelo fotógrafo da expansão da malha ferroviária do Brasil. O mapeamento dessa produção e a identificação dos trajetos das estradas e das próprias viagens realizadas pelo fotógrafo são alguns dos temas que podem ser abordados na pesquisa.

Já o segundo eixo propõe uma investigação sobre as diversas áreas de atuação de Ferrez no campo empresarial. Atento às inovações tecnológicas e empresário da área de fotografia, Ferrez comercializou equipamentos e material fotográfico Brasil afora, tendo importante atuação na propagação da fotografia amadora no país. A partir da década de 1880, incursionou também em projetos editoriais, como a Galeria Contemporânea Brasileira e o jornal A Estação, onde trabalhou como editor de imagens. Também atuou na área do cinema, abrindo a firma Marc Ferrez & filhos, que se dedicaria à distribuição e à comercialização de equipamentos, material e filmes para o cinema.

O último tema, por fim, será destinado a estudar as influências sofridas pelo fotógrafo e os anos iniciais de sua produção. No começo de sua carreira, Ferrez trabalhou na Casa Leuzinger, importante oficina litográfica e editorial, fundada pelo suíço Georges Leuzinger (1813-1892), onde é possível que tenha aprendido o ofício da fotografia. Ele provavelmente também manteve diálogos com o francês Augusto Stahl (1828-1877) e o alemão Revert Henrique Klumb (c. 1826-c. 1886), fotógrafos da família imperial. Neste eixo, será possível esmiuçar as possíveis relações de trabalho e a contribuição desses experientes profissionais na formação da obra de Ferrez.


Edital e inscrição

O formulário de inscrição e o edital ficaram disponíveis de 16 de julho a 31 de agosto de 2018.

Além de preencher o formulário, os interessados precisavam enviar o projeto de pesquisa, entre outros documentos elencados no edital, para o endereço bolsadepesquisa@ims.com.br, até o dia 31 de agosto de 2018.

O pesquisador contemplado receberá o valor de R$ 30 mil, que será pago em 12 parcelas mensais de R$ 2.500,00. Para concorrer à bolsa, é necessário possuir o título de mestre e, caso o candidato seja estrangeiro, residir no Brasil há, no mínimo, um ano. O projeto de pesquisa deve ser original e inédito, não resultando de dissertação ou tese de conclusão de curso ou pós-graduação. Os candidatos serão avaliados por uma comissão constituída por três profissionais do IMS.

O bolsista desenvolverá parte das atividades de pesquisa presencialmente na sede do Rio de Janeiro, onde se encontra o acervo de fotografia, tendo acesso ao banco de dados e à documentação produzida por Ferrez. Após a conclusão do projeto, cuja duração máxima é de um ano, o pesquisador apresentará um relatório final, um artigo de conclusão do trabalho, além de proferir uma palestra aberta ao público sobre os resultados de seu projeto, em local a ser definido pelo IMS.


Túnel ferroviário, c. 1895. Estrada de ferro Rio-Minas. Foto de Marc Ferrez/ Coleção Gilberto Ferrez/ Acervo IMS