Idioma EN
Contraste

Coletivo Umoja (SP)

Grupo que pesquisa as culturas populares afro-brasileiras, radicado no extremo sul de São Paulo, e que traz uma performance de sambas de coco e de roda. Umoja, na língua africana Swahili que é falada na costa leste da África, significa UNIDADE.

Facebook | Instagram | Site

Da ponte para cá: o tambor-Umoja

 

A despeito de todas e tantas violências, dos sucateamentos e extradições praticados pelo Estado brasileiro, esses grupos têm preservado no Tambor sua voz e possibilidade de construção narrativa a partir da música, da dança e dos ritualísticos que envolvem o Tambor; ora se apropriando das políticas públicas locais, apoios e parcerias institucionais para promover, difundir e articular suas artes como meio de existir, e não apenas sobreviver. A arte que pulsa da cultura-Tambor não é apenas uma utopia, mas um meio de estar e ocupar o mundo.

Neste sentido, o Umoja, grupo que pesquisa as culturas populares afro-brasileiras, radicado no extremo sul da cidade de São Paulo, desenvolve ao longo desses anos pontes para ressignificar o cotidiano na metrópole. Construindo pontes e espaço para esse diálogo-Tambor entre diferentes grupos, dando materialidade ao significado ao nome Umoja, que em swahili significa Unidade.

Pensar em construir espaços simbólicos e materiais para substanciar as unidades nas pluralidades e nos diferentes timbres que o couro-Tambor tem se torna um caminho que parte em busca de um pertencimento coletivo, de sociabilidades possíveis e que são promovidas pelo Tambor, esta tecnologia ancestral de comunicação com os planos espirituais, materiais e com a fisicalidade de nossos corpos.

É o Tambor o alimento para as almas insubmissas. Como já dito, há no Tambor, esta entidade, este guia, este Ser, este ancestral, uma força que nos nutre o corpo, e nos possibilita, ainda que virtualmente (como no caso deste portal, vídeo, site) nos reunirmos em torno de suas histórias, oralidades e corporeidades.

Há no Tambor uma capacidade de construir narrativas coletivas atemporais que tornam possíveis nossas intransigências, nossas insurgências e nossas (re)existências frente ao tempo que vivemos.

*Clique na imagem para ampliá-la

LEGENDAS

Foto 1
Laura Andrade, Sol Almeida, Debora Marçal, Cau andrade, Fernanda d’santana. Foto de GUMA

Foto 2
Alan bernardino. Foto de GUMA

Foto 3
Debora marçal, Fernanda d’santana, Priscila Obaci. Foto de GUMA

convidados do UMOJA - CONVERSA ENTRE TAMBORES

Mais sobre o Programa Convida
Artistas e coletivos convidados pelo IMS desenvolvem projetos durante a quarentena. Conheça os participantes:

A · B · C · D · E · F · G · H · I · J · K · L · M · N · O · P · Q · R · S · T · U · V · W · X · Y · Z