A fotografia através da imprensa

Curso

Com Dorrit Harazim
Parte de Histórias da fotografia

Quando

12, 19 e 26/3 e 2/4/2019, terças, das 19h às 21h

Inscrições

ESGOTADO (lista de espera disponível). Mais informações em Como participar

IMS Paulista

Sala de aula
Avenida Paulista, 2424
São Paulo/SP

O homem que emerge, Harlem, Nova York, 1952. Foto de Gordon Parks © Gordon Parks Foundation

A intersecção entre fotografia, história e jornalismo será explorada em quatro módulos temáticos que compõem cada aula: guerras (a influência da imagem sobre a narrativa histórica, a evolução do fotojornalismo, o apogeu e o retrocesso de coberturas convencionais); poder (de Lincoln a Putin, a difícil arte de captar a essência dos poderosos); democracia (tabloides, agências de fotografia, revistas ilustradas e as diferenças entre o ensaio longo e a imagem única); e crise de identidade (a credibilidade da fotografia e do jornalismo em xeque, as polêmicas envolvendo os prêmios de fotojornalismo, a disputa pela narrativa final).


Como participar

ESGOTADO (lista de espera disponível)
12, 19 e 26/3 e 2/4, terças, das 19h às 21h
R$ 200 por 4 aulas
45 vagas


Sobre Dorrit Harazim

É jornalista. Passou pelos principais veículos de comunicação do país e recebeu o prêmio Gabriel García Márquez de Jornalismo na categoria Excelência, e o Maria Moors Cabot 2017. Foi colunista do site da revista ZUM e publicou O instante certo, livro de ensaios sobre fotografia.


Programa

1) Guerras e conflitos: O poder da imagem sobre a narrativa histórica. A evolução do fotojornalismo (Crimeia, Guerra Civil Americana, guerras mundiais), o apogeu (Vietnã) e o retrocesso de coberturas convencionais. A força de mídias ninja.
2) O poder político: A construção do retrato oficial. De Lincoln a Putin, uma difícil arte de captar a essência dos poderosos. O caso Zuckerberg e a ingrata tarefa de retratar o poder econômico invisível.
3) Fotografia e democracia: Das raízes no século 19 ao impacto na realidade social (de Minamata ao menino Aylan). O vazio de uma imagem sem contexto. A era de ouro dos tabloides, as revistas ilustradas (Life e outras) e as agências de fotografia, como Associated Press e Magnum. As diferenças entre o ensaio longo e a imagem única.
4) A manipulação da história: Putin e Obama como donos das respectivas imagens. A credibilidade da fotografia e do jornalismo em xeque – os danos de um prêmio World Press Photo e Pulitzer falsos. Quando o celular do cidadão disputa a narrativa final.


Conteúdo relacionado