Debate sobre a tragédia em Mariana

Debate

Com Cristina Serra e Carlos Eduardo Pinto

Quando

27 de setembro de 2017
Quarta, às 19h

Entrada gratuita

Sala de eventos

IMS Poços de Caldas

Rua Teresópolis, 90
Poços de Caldas/MG
CEP 37701-058

Bento Rodrigues, Minas Gerais, 2016. Fotografia de Pedro Mascaro.

Sobre o evento

Em parceria com o XIV Congresso Nacional de Meio Ambiente, que acontece em Poços de Caldas de 26 a 29 de setembro, o IMS promove no dia 27 de setembro, às 19h, uma conversa com Cristina Serra, jornalista da TV Globo que escreve um livro sobre o desastre de Mariana, e Carlos Eduardo Pinto, promotor do Ministério Público de Minas Gerais que coordenou as investigações que se seguiram ao rompimento da barragem. A atividade é aberta ao público e gratuita.

 

No dia 5 de novembro de 2015, às 15h30, uma gigantesca barragem de rejeitos de minério de ferro rompeu inteira sobre o povoado de Bento Rodrigues, distrito de Mariana, Minas Gerais. Esse momento deu início à maior tragédia ambiental brasileira e ao mais grave acidente dessa natureza na história da mineração mundial. Dezenove pessoas morreram, a cidade de Bento Rodrigues, em Minas Gerais, não existe mais, e a lama vinda da barragem destruiu toda a vida existente ao longo de 650 quilômetros de extensão do rio Doce até o mar.

A história do desastre e de quem sobreviveu a ele foi contada nas páginas da revista piauí, em julho de 2016, através da reportagem de Consuelo Dieguez e das fotografias de Cristiano e Pedro Mascaro, convidados pela revista especialmente para essa cobertura. Esse material pode ser visto em tiragens de grande formato, que revelam em detalhes a extensão e a gravidade dessa tragédia humana e ambiental, na exposição A lama: de Mariana ao Mar.


Sobre os palestrantes

Cristina Serra
Formada em jornalismo na Universidade Federal Fluminense, foi repórter do jornal Resistência (Belém-Pará), jornal Leia Livros (São Paulo), Jornal do Brasil, revista Veja e Rede Globo (nesta última, desde 1990). Foi correspondente em Nova York de 2002 a 2005. Repórter de política em Brasília por 17 anos. Desde 2015, repórter do Fantástico, onde cobriu o desastre de Mariana. Atualmente está licenciada da tv para escrever um livro sobre o rompimento da barragem.

 

Carlos Eduardo Pinto
Promotor de Justiça e Diretor da Abrampa (Associação Brasileira dos Membros do Ministério Público de Meio Ambiente). Coordenador da Força-tarefa do Ministério Público de Minas Gerais para atuação do caso Mariana de novembro de 2015 a dezembro de 2016. Professor da Fundação Getúlio Vargas.


Como participar

Debate gratuito na sala de eventos. Sujeito à lotação.