O fotojornalismo por meio de suas controvérsias

Oficina

Com Gabi Di Bella
Parte de Cursos e oficinas 2019/2

Quando

7, 14, 21, 24 e 28 agosto e 4 de setembro de 2019, quartas, das 19h às 21h30

Ingressos

Esgotado (lista de espera disponível). Mais informações em Como participar

IMS Paulista

Estúdio
Avenida Paulista, 2424
São Paulo/SP

Como a aura de glamour em torno da figura do fotojornalista acabou levando a diversos enganos e até à criação de um fotógrafo fake, que conseguiu ludibriar veículos de mídia? Esta oficina propõe um olhar e uma análise da história do fotojornalismo a partir de um questionamento sobre a verdade na fotografia. Alinhado a isso, cada participante produzirá uma breve história/ensaio fotojornalístico.

Observação: Haverá uma saída fotográfica no sábado, 24 de agosto, das 14h30 às 17h.

Pré-requisitos: Os participantes devem ter um conhecimento fotográfico básico, dispor de uma câmera fotográfica ou de um celular que permita ajustes manuais e ter domínio técnico sobre o aparelho.

Materiais necessários: Os alunos serão estimulados a apresentar suas fotos em papel (tamanho 10 x 15 cm). As imagens poderão ser apresentadas digitalmente com projetor.

Reprodução do perfil de Instagram do falso fotógrafo Eduardo Martins
Reprodução do perfil de Instagram do falso fotógrafo Eduardo Martins.

Como participar

Esgotado (lista de espera disponível).

Quando
7, 14, 21, 24 e 28 agosto e 4 de setembro de 2019, quartas, das 19h às 21h30

R$300, pelos 6 encontros.
12 vagas.

Estudantes, professores e maiores de 60 anos têm 50% de desconto em todos os cursos.


Sobre Gabi Di Bella

É fotojornalista e iniciou sua carreira nos jornais de Porto Alegre, onde cobriu a Copa do Mundo e o desastre da Boate Kiss. Mudou-se para São Paulo em 2015, para trabalhar na Folha de S.Paulo. Atualmente faz mestrado, em que estuda o fenômedo das fake news, e atua como freelancer, desenvolvendo projetos pessoais e colaborando com veículos como National Geographic e The Intercept.


Programa

1) Fotografia: o início, uma criação que já tem sua autoria questionada. O imigrante francês Hercules Florence e a pesquisa de Boris Kossoy. Os primeiros documentaristas do meio urbano e os primeiros ensaios fotográficos para jornais e revistas.

2) As diferenças entre ensaio e pauta. Como funciona esse sistema dentro das redações e como é a produção da fotografia para a grande mídia O que diferencia os trabalhos fotográficos jornalísticos dos pessoais.

3) Os primeiros questionamentos. Fading Away, de Henry Peach. O fotojornalista como o herói aventureiro e desbravador do mundo desconhecido. O caso da foto do soldado morrendo na Guerra Civil Espanhola de Robert Capa e outros contos.

4) Saída fotográfica: criar duas histórias (uma verdadeira e outra falsa) com fotos, um ensaio e uma pauta.

5) Análise dos ensaios e pautas produzidos. Como a internet mudou o fluxo das redações e como isso afeta o mercado do fotojornalismo e o mercado da fotografia em geral.

6) Como a fotografia pode mentir. Likes valem mais que o conteúdo? Casos modernos de fotógrafos e fotos históricas que sofreram releituras. A obra de Joan Fontcuberta. O caso do fotógrafo fake Edu Martins, que enganou diversos veículos de mídia.


Conteúdo relacionado


Cursos e oficinas no IMS Paulista

Com destaque para a fotografia e voltada tanto para o público leigo quanto para quem deseja aprofundar os conhecimentos, a programação de cursos contempla também áreas como música, cultura pop e artes visuais, além de dialogar com as exposições em cartaz no centro cultural.