O poder da imagem

Crítica e representação em Harun Farocki, Bertold Brecht, Vilém Flusser e Didi-Hubermann

Curso

Com Jane de Almeida, Marcela Oliveira, Márcio Seligmann e Ilana Feldman

Parte de Cursos e oficinas 2019/2

Quando

3, 10, 17 e 24 de outubro de 2019, quintas, das 19h às 21h

Ingressos

Vendas pelo Eventbrite. Mais informações em Como participar

IMS Paulista

Sala de aula
Avenida Paulista, 2424
São Paulo/SP

Por ocasião da exposição Harun Farocki: quem é responsável?, em cartaz no IMS Paulista a partir de 17 de setembro, este curso aborda o pensamento crítico do artista alemão a partir de autores que foram referência em sua obra, Bertolt Brecht e Vilém Flusser, e de Didi-Huberman, um dos principais comentadores de seu trabalho.

Relacionado à exposição Harun Farocki: quem é responsável? no IMS Paulista

Still de Imagens do mundo e inscrição da guerra, filme, 75' © HarunFarockiGbR, 1988

Como participar

Quando
3, 10, 17 e 24 de outubro de 2019, quintas, das 19h às 21h

R$200, pelos 4 encontros
45 vagas

Estudantes, professores e maiores de 60 anos têm 50% de desconto em todos os cursos


Sobre os professores

Jane de Almeida é professora da pós-graduação em Educação, Arte e História da Cultura da Universidade Mackenzie e professora convidada no departamento de artes visuais da Universidade da Califórnia, San Diego. Foi curadora da exposição Programando o Visível: Harun Farocki (2016) e organizou livro com mesmo nome.

Sérgio de Carvalho é dramaturgo e diretor teatral da Companhia do Latão. É professor livre-docente de Dramaturgia na USP, diretor do Teatro da USP e vice-diretor do Centro Universitário Maria Antonia. Autor de muitas peças e estudos sobre teatro, entre seus livros estão Companhia do Latão 7 peças e Ópera dos Vivos.

Márcio Seligmann-Silva é doutor pela Universidade Livre de Berlim, pós-doutor por Yale e professor titular de Teoria Literária na Unicamp. É autor de, entre outras obras, Ler o livro do mundo (vencedor do prêmio de ensaio literário da Fundação Biblioteca Nacional), O local da diferença (ganhador do Jabuti de teoria/crítica literária), Para uma crítica da compaixão e A atualidade de Walter Benjamin e de Theodor W. Adorno.

Ilana Feldman é pesquisadora, crítica e professora. Doutora em Cinema pela ECA-USP, com passagem pelo Departamento de Filosofia, Artes e Estética da Universidade Paris 8, e pós-doutora em Teoria Literária pelo IEL-Unicamp, desenvolve pesquisa sobre cinema, testemunho, luto e autobiografia. Realizou a entrevista Alguns pedaços de película, alguns gestos políticos com Georges Didi-Huberman por ocasião da edição brasileira de seu livro Cascas.


Programa

3/10 - Harun Farocki: a arte contemporânea enfrenta o filme político, com Jane de Almeida
A aula apresentará as propostas políticas de Harun Farocki em diferentes obras e debaterá sobre sua passagem do cinema para a arte contemporânea.

10/10 - Abrir os olhos, tomar posição: ensaio e montagem no cinema de Harun Farocki, com Ilana Feldman
O filósofo Georges Didi-Huberman tem interrogado as condições de produção das imagens e seu papel na legibilidade da história e do tempo. Ao se debruçar sobre Imagens do mundo e inscrição da guerra (1988) e Intervalo (2007), dois ensaios cinematográficos de Harun Farocki acerca do problema da visibilidade dos campos de concentração e extermínio nazistas, Didi-Huberman defende que – por meio da montagem, da remontagem e da desmontagem – possamos abrir os olhos para a violência do mundo inscrita nas imagens.

17/10 - Farocki e Vilém Flusser: da paixão das imagens à crítica dos aparelhos, com Márcio Seligmann-Silva
Em um texto autobiográfico de 2009, Harun Farocki narra sua relação positiva com a obra de Vilém Flusser em meados dos anos 1980. Ele escreve que ao realizar um projeto com uma dupla face, de pesquisa sobre o “estado atual do cinema e da fotografia”, citou fartamente Flusser. Tal projeto nascido desse diálogo se concretizou em seus filmes Guerra de imagens (1987) e Imagens do mundo e epitáfios de guerra (1988) e no texto “A realidade deveria começar”. A aula destrincha esse diálogo de Farocki com Flusser, lançando mão também da entrevista que o artista alemão fez com o filósofo em 1986 (“Frases de impacto – Imagens de impacto”) e do texto que ele leu em homenagem a Flusser em 1999, “Tesouro de imagens”, entre outros materiais escritos e audiovisuais.

24/10 - Bertolt Brecht e Harun Farocki, com Sérgio de Carvalho
Os procedimentos de trabalho teatral de Brecht nas áreas da dramaturgia, encenação e teoria configuram um conjunto experimental e inventivo que se desenvolve em diálogo com tradição dialética da crítica da ideologia. Os modelos produzidos pelo escritor alemão organizam um campo de pesquisas ainda hoje referencial para qualquer produção de arte interessada na representação da vida social ou na ação estético-política.


Exposição relacionada


Cursos e oficinas no IMS Paulista

Com destaque para a fotografia e voltada tanto para o público leigo quanto para quem deseja aprofundar os conhecimentos, a programação de cursos contempla também áreas como música, cultura pop e artes visuais, além de dialogar com as exposições em cartaz no centro cultural.