Rio, 40 Graus

Direção

Nelson Pereira dos Santos

Informações

Brasil
1955. 100min. 14 anos

Formato de exibição

DCP

Um dia na vida de cinco garotos de uma comunidade que em um domingo típicamente carioca e de sol escaldante vendem amendoim em Copacabana, no Pão de Açucar e no Maracanã.

Ao retratar um Rio de Janeiro de forma pouco edulcorada, Rio, 40 graus teve exibição interditada pela censura; após sua liberação, o filme abriu caminhos para um cinema nacional político, e esta primeira fase de sua obra é hoje considerada um prelúdio do Cinema Novo, como escreveu Walter Salles para o jornal Folha de S. Paulo:

“Com Rio, 40 grausRio, Zona Norte e Vidas secas (1963), é toda uma geografia humana até então excluída do cinema que ganha a tela.

Os primeiros filmes de Nelson irrigaram o mais importante movimento cinematográfico brasileiro, o cinema novo. Não era somente uma ideia de cinema que tomava corpo naquele momento, mas também a projeção de um país desejado – muito mais livre, justo, independente e democrático do que aquele em que vivemos hoje.

A partida de Nelson revela a distância abissal entre o país sonhado e o Brasil real. [...] A sua ausência é uma perda irreparável para o cinema brasileiro. Nelson parte, mas a dimensão da sua obra e a ética que a construiu ficam para sempre presentes. É um legado imenso e generoso, constitutivo do nosso passado e futuro. E, também, daquilo que poderemos ser, enquanto nação.”

Este filme faz parte da programação de:
- Festival do Rio 2018
- Mostra Nelson Pereira em cartaz no IMS Rio
- Mostra Nelson Pereira em cartaz no IMS Paulista


Programação

Não há sessões previstas para esse filme no momento.


Evento relacionado

Sessão + debate | IMS Rio
4 de novembro de 2018, às 15h
Sessão seguida de debate com Cacá Diegues, Hernani Heffner e Walter Salles.

Cacá Diegues é cineasta, ensaísta, roteirista e produtor. É um dos criadores do Cinema Novo, no início dos anos 1960, e um dos mais atuantes cineastas brasileiros. Dirigiu Ganga Zumba (1963), Xica da Silva (1976), Bye Bye Brasil (1979), Orfeu (1999) e outros filmes.

Hernani Heffner é conservador-chefe da Cinemateca do MAM, pesquisador e professor de história do cinema em diversas universidades e cursos livres como a Universidade Federal Fluminense, Fundação Getúlio Vargas, Fundação de Artes do Paraná e Puc-Rio. Escreveu mais de 100 verbetes para a Enciclopédia do Cinema Brasileiro, assim como dezenas de artigos e textos para catálogos, revistas e livros.

Walter Salles é cineasta e produtor. Dentre os filmes que dirigiu estão Central do Brasil (1998), Diários de Motocicleta (2004), filme sobre a juventude de Che Guevara (1928-1967), e uma adaptação de On The Road (2012), romance-ícone da geração beatnik, escrito por Jack Kerouac (1922-1969).


Ingressos

Os ingressos para as sessões de cinema do IMS são vendidos nas bilheterias dos centros culturais e no site ingresso.com.

As bilheterias vendem ingressos apenas para as sessões do dia. No site, as vendas são semanais: a cada quinta-feira são liberados ingressos para as sessões que acontecem até a quarta-feira seguinte.

IMS Paulista
R$ 8 (inteira) e R$ 4 (meia)
Bilheteria: de terça a domingo, das 10h até o início da última sessão de cinema do dia, na Praça (5º andar).

IMS Rio
R$26 (inteira) e R$13 (meia).
Bilheteria: de terça a domingo, das 11h até o início da última sessão de cinema do dia, na recepção.