Rua da vergonha

Akasen chitai

Direção

Kenji Mizoguchi

Informações

Japão
1956. 87min. 12 anos

Formato de exibição

35mm

Palestra com Chika Kinoshita e João Luiz Vieira

IMS Paulista: 6/3, às 18h30

Sinopse

Em uma rua de bordéis em Tóquio, a “Terra dos Sonhos” abriga cinco prostitutas: Hanae é casada com um homem tuberculoso que não pode trabalhar; Yumeko sonha deixar o trabalho e ser sustentada pelo filho; Yorie planeja se casar com um cliente; Yasumi é zelosa com suas economias; e Mickey, de calças justas e rabo de cavalo, é a mais ocidentalizada do grupo.

O título original do filme, Akasen chitai, significa em japonês “a zona da linha vermelha”, em referência à prostituição existente na região de Tóquio onde se passa o filme. Rua da vergonha foi realizado em um momento em que a lei da prostituição era discutida no parlamento japonês. Baseado no romance de Yoshiko Shibaki, Susaki no onna, este é o último filme de Mizoguchi, que faleceu em 1956 aos 58 anos. A lei antiprostituição foi aprovada no mesmo ano.

A cópia em 35 mm que será exibida faz parte da coleção do National Film Center, do Museu Nacional de Arte Moderna, em Tóquio.


Programação

Não há sessões previstas para esse filme no momento.


Palestra

O IMS promove uma palestra sobre Kenji Mizoguchi com Chika Kinoshita e João Luiz Vieira em seus centros culturais de São Paulo e do Rio de Janeiro.

IMS Paulista: 6/3, às 18h30, após o filme Rua da vergonha
IMS Rio: 10/3, às 16h, após o filme Mulheres da noite

O evento faz parte do Ciclo Kenji Mizoguchi, organizado em parceria com a Fundação Japão. A retrospectiva dedicada ao realizador japonês Kenji Mizoguchi (1898-1956) acontece de 20 de fevereiro a 6 de março no IMS Paulista e de 6 a 21 de março de 2018 no IMS Rio.

Sobre os palestrantes

Chika Kinoshita é professora associada na Universidade de Quioto, PhD em Linguagens e Civilizações Asiáticas, com ênfase em Cinema e Midialogia na Universidade de Chicago.
Autora das publicações Mise-en-scène do desejo - os filmes de Kenji MizoguchiA trilha de Benshi: A decadência de Osen e a transição sonoraCoreografia do desejo: Analisando a atuação de Kinuyo Tanaka nos filmes de Mizoguchi; O som flutuante: Som e imagem em Crisântemos Tardios.

João Luiz Vieira é Doutor em Cinema Studies - New York University (1984), com bolsa Fulbright e CNPq. Pós-doutor com bolsa CAPES no Department of Film and Television Studies da Universidade de Warwick, Inglaterra (1997). Atualmente é Professor Associado do Departamento de Cinema e Vídeo e atual Coordenador do Programa de Pós-Graduação em Comunicação da Universidade Federal Fluminense.
Organizou as mostras de cinema Ozu e Mizoguchi: Mestres do Cinema Japonês (2004) e Cinema Japonês Ontem e Hoje (2003).


Ingressos

Os ingressos para as sessões de cinema do IMS são vendidos nas bilheterias dos centros culturais e no site ingresso.com. 
 
As bilheterias vendem ingressos apenas para as sessões do dia. No site, as vendas são semanais: a cada quinta-feira são liberados ingressos para as sessões que acontecem até a quarta-feira seguinte.
 
IMS Paulista
R$4 (inteira) e R$2 (meia).
Bilheteria: de terça a domingo, das 10h até o início da última sessão de cinema do dia, na Praça, no 5º andar.
IMS Rio
R$4 (inteira) e R$2 (meia).
Bilheteria: de terça a domingo, das 11h até o início da última sessão de cinema do dia, na recepção.

Conteúdo relacionado