Por Dentro dos Acervos Veja Mais +

Marc Ferrez e o Brasil oitocentista

03 de maio de 2014

Em 1875 e 1876, Marc Ferrez integra como fotógrafo a Comissão Geológica do Império, chefiada pelo cientista norte-americano Charles Frederick Hartt (1840-1878), que visava a pesquisar as formações rochosas das diferentes províncias do país. Nesse trabalho, realizado ao longo de uma expedição ao Norte e Nordeste, o artista dá corpo a uma documentação visual que inclui, entre outros aspectos, vistas dos recifes de Pernambuco, o baixo rio São Francisco e a cachoeira de Paulo Afonso, além de fotografias de madrepérolas, corais e paisagens.

Em 1870, Ferrez apresenta-se como fotógrafo oficial da Marinha Imperial. Nas missões das quais participou, documentou embarcações e portos, enquanto desenvolvia técnica inédita para captar imagens de veleiros e vapores. Como estas tinham de ser realizadas enquanto estava no interior de outras embarcações – o que amplificava as dificuldades técnicas –, Ferrez concebeu um sistema que lhe permitia contrapor-se ao movimento das ondas e, dessa maneira, obter registros com o horizonte sempre alinhado.

Destacam-se ainda na riqueza documental contida no Acervo Marc Ferrez paisagens do Rio de Janeiro e seus arredores; imagens de diversas regiões do país; cenas urbanas, com imagens da arquitetura oitocentista; estradas de ferro em construção; obras de canalização e abastecimento; personalidades públicas e personagens anônimos típicos, que expressam as diferentes camadas sociais e ocupações de trabalho, bem como a diversidade étnica brasileira. Ferrez também produziu imagens de valor etnográfico inestimável, como as dos índios Botocudo no sul da Bahia e dos Bororo em Goiás. Igualmente preciosos são os registros de trabalhadores em minas e fazendas de gado em Minas Gerais, bem como nas fazendas de café de São Paulo e Rio de Janeiro, na década de 1880.

 

Construção da estrada de ferro Príncipe do Grão Pará, c. 1882. Petrópolis, RJ.

 

Amolador, c.1895. Rio de Janeiro, RJ.

 

Escravos na colheita do café, c.1882. Vale do Paraíba, RJ.

 

Túneis ferroviários, c. 1895. Estrada de ferro Rio-Minas.

 

Locomotiva, c. 1880. Estrada de ferro Rio-Minas.

 

Queda d´água, c.1880. Rio de Janeiro, RJ.

 

Lavagem de ouro, c.1880. Minas Gerais.

 

Índios no sul da Bahia, 1875.

 

Vista panorâmica da enseada de Botafogo, c.1880. Rio de Janeiro, RJ.

 

Entrada da Baía de Guanabara, c.1885. Niterói, RJ.

 

Túnel de Sanga Funda, estrada de ferro Paranaguá-Curitiba, c.1884. Paraná.

 

Ponte do Silvestre, c. 1895. Rio de Janeiro, RJ.

 

Porto de Santos, c. 1880. Cais do porto, Santos, SP.

 

Primeira foto do trabalho no interior de uma mina de ouro, 1888. Minas Gerais.

 

Praia de Ipanema com o morro Dois Irmãos e a Pedra da Gávea ao fundo, c.1895. Rio de Janeiro, RJ.

 

Viaduto, c. 1895. Estrada de ferro Rio-Minas.

 

Mais

Acervo de Marc Ferrez no IMS
As cores do Rio aos olhos de Marc Ferrez
Ferrez em gigapixel

Sobre os acervos

Mais IMS