Idioma EN
Contraste

Blog do Cinema Veja Mais +

Carta de Karim Aïnouz

16 de dezembro de 2019

Para a exibição de A vida invisível nos cinemas do IMS, o diretor Karim Aïnouz escreveu uma carta exclusiva aos espectadores.

 

Cena de A vida invisível, de Karim Aïnouz. Foto de Bruno Machado
Cena de A vida invisível, de Karim Aïnouz. Foto de Bruno Machado

 

Queridx espectadorx,

O filme que você viu ou verá é, acima de tudo, uma ode ao amor, ao amor de duas irmãs, duas mulheres.

Desde que estreamos A vida invisível em maio deste ano no Festival de Cannes o filme vem ganhando o mundo, lotando salas e emocionando o público. Seja em Munique, Fortaleza, Paris, Belo Horizonte, Londres, Recife, São Francisco, Teresina,  Nova York, Curitiba, Lima, São Paulo, Zurique, Mar del Plata, Rio de Janeiro, Morelia, hoje mais que ontem, sinto o filme forte em seu propósito de comunicar e fazer sentir.

São muitos abraços e relatos que me acompanham desde o início dessa jornada. Pessoas que me procuram em cada uma dessas cidades que o filme já visitou, e contam emocionadas não apenas como o filme repercutiu dentro delas, mas também - e talvez mais importante - como ele conseguiu ativar dentro de cada uma a memória de suas mães, tias, avós e irmãs.

O que me levou a adaptar A vida invisível foi justamente o desejo de dar visibilidade a tantas vidas invisíveis, mulheres daquela época e também dos nossos dias. As histórias dessas mulheres não foram contadas o suficiente, seja em romances, livros de história ou no cinema.

A vida invisível é um esforço de desvelar o que foi por muito tempo sufocado. Que intercala suor e choro, dor e vida, perda e desejo. Que nos faz lembrar que família não é sangue, mas acima de tudo, amor.

São quase 5 anos de trabalho diário ao lado de uma grande equipe que separam a ideia inicial do filme e esse grande momento que é tê-lo no circuito do cinema nacional.

Que essa carta seja só o primeiro passo para uma troca. Minha vontade é saber de você, saber o que o filme te provocou.

E finalmente, dedico este filme não só a Eurídice e Guida, mas também a todas as mulheres do Brasil e do mundo.

Um grande abraço

Karim

Sobre os acervos

Mais IMS