Meu compadre Zé Keti + Cinema de lágrimas

Direção

Nelson Pereira dos Santos

Informações

Brasil
2001 | 1995. 12 min. | 92min. 14 anos

Formato de exibição

35mm

Parte da mostra

Meu compadre Zé Keti

Meu compadre Zé Kéti é uma homenagem de Nelson Pereira dos Santos e de amigos do sambista que ficou conhecido como “A voz do morro”. O curta apresenta uma roda de samba na antiga casa do músico, no bairro de Inhaúma, na Zona Norte do Rio de Janeiro. Enquanto a feijoada é preparada, sambistas como Monarco, Nelson Sargento e Wilson Moreira evocam a memória do compositor.

Zé Kéti foi colaborador de longa data de Nelson. Dentre outras funções, foi autor de músicas nos filmes Rio, 40 graus, Rio, Zona Norte – este, inspirado na própria vida do sambista – e Boca de ouro. "Minha ideia é recuperar a imagem do homem bondoso e carinhoso que ele foi", comentou Nelson por ocasião da liberação de financiamento para o projeto do curta-metragem. À época, o diretor teria afirmado que esse era “apenas um aperitivo para um documentário mais completo, que pretendo ainda realizar”.

Meu compadre Zé Kéti será exibido junto ao longa Cinema de lágrimas também dirigido por Nelson Pereira dos Santos.

Falas de Nelson Pereira dos Santos extraídas da matéria do jornal O Estado de S. Paulo sobre o filme.


Cinema de lágrimas

Um conhecido dramaturgo, abalado pelo fracasso de sua última peça e por sonhos recorrentes com a mãe que se suicidou, contrata um jovem estudante de cinema para ajudá-lo a descobrir o filme a que sua mãe teria assistido pouco antes de morrer. A missão leva-os à Cinemateca da Universidade Autônoma do México (Unam).

“Esse projeto foi do Instituto Britânico de Cinema”, conta Nelson Pereira dos Santos em entrevista de 2007 à revista Estudos Avançados, mencionando o projeto O centenário do cinema, que contou com 18 produções internacionais e foi coordenado pelo British Film Institute. “Fui convidado para fazer um filme sobre o cinema da América Latina. Da mesma forma como nós, brasileiros, temos a imagem da África como cultura única, assim pensam também os americanos e ingleses em relação à América Latina. Não reconhecem as diferenças culturais entre os países deste continente. Impossível contar em 90 minutos toda a história do cinema brasileiro. Imaginem contar também a história dos cinemas argentino, mexicano, cubano e... Como tinha liberdade de escolha entre documentário e ficção, optei por esta. O argumento do filme é baseado no livro [da pesquisadora Silvia Oroz] Melodrama: o cinema de lágrimas da América Latina, uma análise do melodrama. Minha intenção foi a de fazer uma homenagem ao momento de ouro do cinema latino-americano dos anos 1950, quando os filmes mexicanos e argentinos competiam com o cinema americano, tanto em produção quanto em distribuição. Na avenida São João, por exemplo, de um lado, passavam os filmes americanos e, do outro, os argentinos e mexicanos.”

Em sua pesquisa em torno do melodrama, Silvia Oroz assistiu a cerca de 500 filmes, alguns dos quais têm trechos incluídos em Cinema de lágrimas. Nas palavras da pesquisadora Mariarosaria Fabris, ao “apresentar vários trechos de melodramas, Nelson Pereira dos Santos acaba fazendo um mapeamento da realidade latino-americana do período que aquelas obras retratavam. É todo um jogo de remissões entre passado e presente, entre um filme e outro, entre imagens que se perseguem sem uma cronologia precisa, como se fossem determinadas pelo fluxo de uma memória em que várias alteridades se confrontam e se complementam para constituir uma identidade.”

Cinema de lágrimas será exibido junto ao curta Meu compadre Zé Kéti também dirigido por Nelson Pereira dos Santos.

Leia na íntegra a entrevista de Nelson Pereira dos Santos para revista Estudos Avançados.


Programação

Meu compadre Zé Keti + Cinema de lágrimas

Brasil, 12 min. | 92 min., Nelson Pereira dos Santos

21/09 sábado 16h
Rio de Janeiro

Rua Marquês de São Vicente, 476, Gávea
Rio de Janeiro-RJ
CEP 22451-040

(21) 3284-7400
imsrj@ims.com.br


Ingressos

Os ingressos para as sessões de cinema do IMS são vendidos nas bilheterias dos centros culturais e no site ingresso.com.

As bilheterias vendem ingressos apenas para as sessões do dia. No site, as vendas são semanais: a cada quinta-feira são liberados ingressos para as sessões que acontecem até a quarta-feira seguinte.

IMS Paulista
Ingressos: R$8 (inteira) e R$4 (meia).
Bilheteria: de terça a domingo, das 10h até o início da última sessão de cinema do dia, na Praça, no 5º andar.

IMS Rio
Ingressos: R$8 (inteira) e R$4 (meia).
Bilheteria: de terça a domingo, das 11h até o início da última sessão de cinema do dia, na recepção.


Conteúdo relacionado