Blog do Cinema Veja Mais +

Até o fim do feriadaço

12 de novembro de 2018

Em parceria com a Cinemateca Francesa, o IMS Paulista apresenta nos dias 13 e 14/11 a cópia restaurada de Protéa (1913), último filme do pioneiro cineasta Victorin-Hippolyte Jasset, com trilha musical ao vivo do grupo Quartabê.

Cena de Protéa

 

A terceira edição do evento bimestral Sessão Mutual Films, com os filmes Vinte dias sem guerra (Aleksey German, 1976) e País bárbaro (Angela Ricci Lucchi e Yervant Gianikian, 2013), apresenta sua primeira sessão de novembro na quinta-feira, dia 15, no IMS Rio.

 

 

Outros destaques da semana

Torre. Um dia brilhante

É início de verão. Nina, a filha de Mula, está prestes a celebrar a sua primeira comunhão, e os parentes começam a chegar. Entre eles, Kaja, irmã de Mula e mãe biológica de Nina, que permaneceu ausente nos últimos seis anos. Seu retorno desencadeia as ansiedades de Mula, que teme que Nina seja levada embora. Enquanto a presença de Kaja desencadeia mudanças na família, acontecem, no entorno, uma série de estranhos eventos metafísicos.

 

Slam: Voz de levante

Premiado documentário brasileiro sobre poetry slams, batalhas performáticas de poesia falada que nasceram em Chicago (EUA) nos anos 1980 e se espalharam pelo mundo, atraindo pessoas de todas as idades, profissões e classes sociais no exercício da livre expressão e da autorrepresentação. A primeira noite do gênero no Brasil, ZAP! Zona Autônoma da Palavra, foi inaugurada em 2008 por meio da atriz-MC e poeta Roberta Estrela D’Alva e seu grupo de teatro hip-hop, o Núcleo Bartolomeu de Depoimentos.

 

A fábrica de nada

Em uma fábrica portuguesa, um grupo de funcionários começa a notar que a cada dia, mais e mais máquinas e matérias-primas somem do complexo industrial. Logo descobrem que os próprios patrões são os responsáveis pelos roubos.

 

A última abolição

O documentário aborda a escravidão no Brasil, com especial enfoque no período da abolição, destacando o protagonismo do povo negro na luta por sua liberdade. São depoimentos de intelectuais e profissionais como Sueli Carneiro, João José Reis, Wlamyra Albuquerque, Fernando Conceição, Ana Flávia Magalhães Pinto, Giovana Xavier e Paulo Rangel.

 

Djon África

Miguel Moreira, também conhecido como Tibars e Djon África, vive em Portugal com sua avó. Orfão de mãe, o jovem decide ir a Cabo Verde em busca do pai, que nunca conheceu.


Sobre os acervos

Mais IMS