A terceira margem do rio

Direção

Nelson Pereira dos Santos

Informações

Brasil, França
1994. 90min. 16 anos

Formato de exibição

35mm

Parte da mostra

Nelson Pereira em cartaz

Um homem abandona a casa, a mulher, os filhos, os amigos, tudo, para viver isolado numa canoa, no meio de um rio na região central do Brasil. Sem explicar seu gesto, rema sem destino. Jamais volta a pisar em terra firme, nunca mais aparece para ninguém. Seu único contato com as pessoas se faz de modo indireto, por meio do filho que lhe deixa comida debaixo de uma pedra na beira do rio. 

Adaptação do conto homônimo de Guimarães Rosa, o filme A terceira margem do rio é inspirado em mais quatro narrativas do livro Primeiras Estórias, são elas: A menina de lá, Os irmãos Dagobé, Fatalidade e Sequência. Em uma entrevista publicada em 2007, pela revista Estudos Avançados, Nelson conta sobre a reunião dessas histórias em um único roteiro: “A primeira ideia era fazer a adaptação de um conto, A menina de lá. Vale a pena contar uma história: quando o livro foi lançado em 1962, muitos cineastas queriam um conto para adaptar. Aconteceu no famoso bar da Líder um banquete imaginário, a distribuição dos contos, com alguma disputa. Glauber, em seu romance Riverão Sussuarana, se imagina, num trecho, caminhando com o Rosa em Copacabana. Pede ao escritor: ‘Ô Rosa, diz lá pra sua filha Vilma dar logo os direitos pro Nelson fazer o filme A menina de lá’. 

Quando reuni as condições de produção para realizar o filme (foi um longo caminho, coprodução com a França, ajuda do Ministro da Cultura da França, ajuda do Ministério do Exterior da França), já havia decidido juntar ao conto escolhido mais quatro, mas procurando estruturar todos como se fosse uma única história. Para chegar a isso, encontrei um veio, a questão da loucura, segundo a análise de Paulo Rónai. Ele afirma que todos aqueles contos eram da mesma família, e os personagens dos contos se assemelham por serem loucos ou quase e estarem numa espiral alucinatória. Outra semelhança é que todas as narrativas se passam num espaço social onde não há lei escrita, uma grande verdade do Brasil profundo.”

O longa teve sua estreia internacional na competição do Festival de Berlim de 1994 e, no Brasil, recebeu o prêmio Margarida de Prata da CNBB (Conferência Nacional dos Bispos do Brasil).

Leia a entrevista completa.


Programação

Não há sessões previstas para esse filme no momento.


Ingressos

Os ingressos para as sessões de cinema do IMS são vendidos nas bilheterias dos centros culturais e no site ingresso.com. 
 
As bilheterias vendem ingressos apenas para as sessões do dia. No site, as vendas são semanais: a cada quinta-feira são liberados ingressos para as sessões que acontecem até a quarta-feira seguinte.
 
IMS Paulista
Ingresso: R$8 (inteira) e R$4 (meia).
Bilheteria: de terça a domingo, das 10h até o início da última sessão de cinema do dia, na Praça, no 5º andar.
IMS Rio
Ingresso: R$8 (inteira) e R$4 (meia).
Bilheteria: de terça a domingo, das 11h até o início da última sessão de cinema do dia, na recepção.

Conteúdo relacionado