L.A. REBELLION no IMS Paulista

Mostra de filmes

19 a 23 de fevereiro de 2019

Ingressos

R$8 (inteira) e R$4 (meia)

IMS Paulista

Avenida Paulista, 2424
São Paulo/SP

Entre os anos 1970 e 1980, a Universidade da Califórnia em Los Angeles (UCLA) iniciou uma política de inclusão de jovens estudantes de cinema de origens diaspóricas e imigratórias nos EUA. Foi nesse contexto que surgiu um conjunto extraordinário de filmes que expressam o vigor, a singularidade, a renitência e a pregnância de um novo cinema negro, aclamado pela crítica internacional e reivindicado pelas novas gerações de cineastas.

Objeto de redescoberta e restauração nesta década, os filmes de realizadoras e realizadores afro-americanos egressos dessas turmas, movidos por um projeto de autonomia histórica e de emancipação artística, foram reunidos sob a rubrica L.A. Rebellion (Rebelião em Los Angeles), que passou a designar a produção de nomes que se tornariam célebres, como Charles Burnett (vencedor de um Oscar honorário em 2018) e Julie Dash (primeira mulher negra a dirigir um longa-metragem estreado comercialmente nos EUA), além de outros menos conhecidos - mas igualmente notáveis -, como Zeinabu irene Davis, Alile Sharon Larkin, Haile Gerima, Larry Clark e Billy Woodberry.

Os programadores Luís Fernando Moura e Victor Guimarães selecionaram 14 títulos neste vasto e diverso repertório, entre curtas, médias e longas, buscando iluminar obras-primas pouco vistas em um balanço entre novas cópias em formatos digitais e em 16 mm, cedidas pelo arquivo da UCLA. Em fevereiro, os cinemas do IMS exibem esses filmes em sessões comentadas por críticas e críticos, pesquisadoras e pesquisadores, e promove debates em São Paulo e no Rio.


Debates

Bush Mama
19 de fevereiro, às 19h30
A exibição será seguida por fala dos curadores Luís Fernando Moura e Victor Guimarães

Abençoe seus pequeninos corações
20 de fevereiro, às 19h30
A exibição será seguida por fala de Aaron Cutler e Mariana Shellard

Bem-vindo de volta, irmão Charles
21 de fevereiro, às 21h
A exibição será seguida por fala de Heitor Augusto

Uma imagem diferente
22 de fevereiro, às 21h
A exibição será seguida por fala de Mariana Queen Nwabasili

L.A. Rebellion, passado e presente
23 de fevereiro, às 18h
Debate com Heitor Augusto e Mariana Queen Nwabasili. Mediação de Victor Guimarães

Dando um rolê
23 de fevereiro, às 20h30
A exibição será seguida por fala de Victor Guimarães


Filmes

African Woman, USA / Mulher africana, EUA (Omah Diegu [Ijeoma Iloputaife], 1980, 20', digital)
Bless Their Little Hearts / Abençoe seus pequeninos corações (Billy Woodberry, 1983, 80’, DCP)
Bush Mama (Haile Gerima, 1979, 97', 16mm)
Child of Resistance / Filha da resistência (Haile Gerima, 1972, 36', 16mm)
Cycles / Ciclos (Zeinabu irene Davis, 1989, 17', digibeta)
Diary of an African Nun / Diário de uma freira africana (Julie Dash, 1977, 15', digibeta)
A Different Image / Uma imagem diferente (Alile Sharon Larkin, 1982, 52', 16mm)
The Horse / O cavalo (Charles Burnett, 1973, 14', DCP)
Illusions / Ilusões (Julie Dash, 1982, 36', DCP)
Passing Through / Dando um rolê (Larry Clark, 1977, 105', DCP)
The Pocketbook / A bolsa (Billy Woodberry, 1980, 13’, DCP)
Several Friends / Um bocado de amigos (Charles Burnett, 1969, 22', DCP)
Welcome Home Brother Charles / Bem-vindo de volta, irmão Charles (Jamaa Fanaka, 1975, 91', DCP)
Your Children Come Back To You / Seus filhos voltam pra você (Alile Sharon Larkin, 1979, 27', 16mm)

 

Créditos

Dando um rolê: cópia em DCP: cortesia do UCLA Film & Television Archive. Preservação parcialmente financiada pela doação da Andy Warhol Foundation for the Visual Arts e pelo Packard Humanities Institute.

Diário de uma freira africana: Preservação parcialmente financiada pela doação da National Film Preservation Foundation.

L.A. Rebellion: Creating a New Black Cinema foi um projeto do UCLA Film & Television Archive desenvolvido como parte de Pacific Standard Time: Art in L.A. 1945-1980.


Programação

Não há mais sessões previstas.


Debatedores

Luís Fernando Moura é pesquisador e programador de cinema. Graduado pela UFPE, é mestre e doutorando em Comunicação Social pela UFMG, onde integra o grupo de pesquisa Poéticas da Experiência. Foi repórter e crítico nas redações dos jornais Jornal do Commercio e Diario de Pernambuco, e escreveu sobre cinema, literatura e cultura para as revistas Continente, Monet, Gol, ArtFliporto, La Fuga, Tercer Film e Língua Portuguesa, para o Suplemento Pernambuco e para o portal Estadão, além de catálogos de mostras e outras publicações. Co-editou o dossiê "O cinema e o animal" da revista Devires. Desenvolveu projetos junto às produtoras Símio Filmes e Desvia. Foi um dos coordenadores do Cineclube Dissenso, no Recife. Foi um dos curadores das mostras Brasil Distópico, no Rio de Janeiro, e L.A. Rebellion, no Recife, e integrou comissões de curadoria no Festival Internacional de Curtas de Belo Horizonte (2017-2018) e no forumdoc.bh (2018). É curador e, desde 2015, coordenador de programação do Janela Internacional de Cinema do Recife.

Victor Guimarães é crítico, curador e professor. Escreve para a revista Cinética desde 2012 e para o site Horizonte da Cena desde 2015. Colaborou com revistas como Senses of Cinema (Austrália), Desistfilm (Peru), El Agente Cine (Chile), Lumière (Espanha) e La Furia Umana (Itália), além de diversos livros, catálogos de festivais e mostras retrospectivas no Brasil, na Argentina e na França. Foi professor no Centro Universitário UNA, na Universidade Positivo e na Vila das Artes. Curador de mostras como Sabotadores da Indústria (Sesc Palladium, 2014), Argentina Rebelde (Caixa Cultural/RJ, 2015), Anacronias (Semana – Festival de Cinema/RJ, 2017) e Brasil 68 (MIS Cine Santa Tereza/BH, 2018). Doutorando em Comunicação Social pela UFMG, com passagem pela Université Sorbonne-Nouvelle (Paris 3). É autor do livro O hip hop e a intermitência política do documentário (PPGCOM/UFMG, 2015) e organizador de Doméstica (Desvia, 2015). Atualmente é um dos curadores de longas-metragens da Mostra de Cinema de Tiradentes.

Aaron Cutler e Mariana Shellard são os co-fundadores da iniciativa Mutual Films, idealizadores do evento bimestral Sessão Mutual Films, no Instituto Moreira Salles. Os projetos da Mutual Films incluem as mostras Pioneiros americanos: Filmes da coleção Milestone, cuja programação contou com Bless Their Little Hearts, e Hollywood e além: O cinema investigativo de Thom Andersen, que apresentou outros dois filmes de Billy Woodberry

Heitor Augusto é crítico de cinema, curador, professor e tradutor. Curador da mostra Cinema Negro: Capítulos de uma História Fragmentada, realizada durante o Festival de Curtas de Belo Horizonte em 2018, e um dos curadores do Festival de Brasília do Cinema Brasileiro nos anos de 2017 e 2018. Tem textos publicados em revistas de crítica, catálogos de mostras e coletâneas. Ministra oficinas de crítica e de curadoria sob as perspectivas dos subalternizados, além de cursos livres de história do cinema, com ênfase em períodos, autores e recortes pouco investigados. Mantém o site Urso de Lata ( www.ursodelata.com ), onde exercita uma escrita que habita as intersecções entre estética, raça e política.

Mariana Queen Nwabasili é jornalista da área de educação e pesquisadora da representação e construção de personagens negros e mulheres negras em obras audiovisuais. Mestre em Meios e Processos Audiovisuais pela Escola de Comunicações e Artes da Universidade de São Paulo (ECA-USP), na linha de pesquisa Cultura Audiovisual e Comunicação, e graduada em Comunicação Social - Jornalismo pela mesma instituição. Em 2018, atuou como membro do Comitê de Seleção dos Programas Brasileiros da 29ª edição do Festival Internacional de Curtas-metragens de São Paulo – Curta Kinoforum.


Ingressos

Os ingressos para as sessões de cinema do IMS são vendidos nas bilheterias dos centros culturais e no site ingresso.com.

As bilheterias vendem ingressos apenas para as sessões do dia. No site, as vendas são semanais: a cada quinta-feira são liberados ingressos para as sessões que acontecem até a quarta-feira seguinte.

IMS Paulista
Ingressos: R$8 (inteira) e R$4 (meia)
Bilheteria: de terça a domingo, das 10h até o início da última sessão de cinema do dia, na Praça (5º andar).


Conteúdo relacionado