Abertura de Claudia Andujar: a luta Yanomami

Conversa

Com Claudia Andujar, Davi Kopenawa Yanomami e Thyago Nogueira
Relacionada à Claudia Andujar: a luta Yanomami

Quando

20 de julho de 2019, sábado, às 17h

Entrada gratuita

Lugares limitados. Mais informações em Como participar

IMS Rio

Auditório
Rua Marquês de São Vicente, 476
Gávea, Rio de Janeiro/RJ

A exposição Claudia Andujar: a luta Yanomami faz uma retrospectiva do trabalho de Andujar com os Yanomami, indígenas ameaçados de extinção, reúne aproximadamente 200 imagens e uma instalação da fotógrafa e ativista, além de livros e documentos sobre a trajetória do povo em busca de sobrevivência. Na ocasião da abertura, haverá uma conversa com Claudia Andujar, Davi Kopenawa Yanomami e o curador da exposição Thyago Nogueira. A exposição fica em cartaz no IMS Rio até 10 de novembro de 2019.

Davi Kopenawa Yanomami é xamã e presidente da Hutukara Associação Yanomami. Desde meados dos anos 70 tem se dedicado a defender os direitos e interesses dos povos indígenas no Brasil, em especial dos Yanomami. Em 1989 recebeu o Prêmio Global 500, da ONU. É autor do livro "A queda do céu: Palavras de um xamã Yanomami" (com Bruce Albert, Companhia das Letras, 2015).

Thyago Nogueira é coordenador da área de fotografia contemporânea do IMS e editor da revista ZUM.

A jovem Susi Korihana thëri em um igarapé, filme infravermelho. Catrimani, Roraima, 1972-1974. Foto © Claudia Andujar

Como participar

Quando
20 de julho de 2019, sábado, às 17h

Entrada gratuita, com distribuição de senhas 30 minutos antes e limite de 1 senha por pessoa.

Evento sujeito à lotação.


Sobre Claudia Andujar

Nasceu na Suíça, em 1931, e em seguida mudou-se para Oradea, na fronteira entre a Romênia e a Hungria, onde vivia sua família paterna, de origem judaica. Em 1944, com a perseguição aos judeus durante a Segunda Guerra Mundial, fugiu com a mãe para a Suíça, e depois emigrou para os Estados Unidos, onde foi morar com um tio. Em Nova York, desenvolveu interesse pela pintura e trabalhou como guia na Organização das Nações Unidas. Em 1955, veio ao Brasil para reencontrar a mãe, e decidiu estabelecer-se no país, onde deu início à carreira de fotógrafa.


Conteúdo relacionado


Na loja do IMS

Claudia Andujar: a luta Yanomami

Mais de 300 imagens compõem o catálogo da mostra homônima. A publicação reúne ainda textos da própria fotógrafa, do curador Thyago Nogueira e do antropólogo Bruce Albert, que se aliou a Claudia Andujar na luta pelos Yanomami.