O primeiro milhão

29.11.18

 

No último domingo, dia 25 de novembro, o IMS Paulista ultrapassou o primeiro milhão de visitas após um ano e dois meses de funcionamento na capital de São Paulo. Em números mais precisos, foram 1.003.126 visitas ao longo dos 363 dias em que o centro cultural esteve aberto ao público, descontadas as segundas-feiras e o recesso de início de ano.

Foram dezesseis exposições nesse período, ocupando as galerias e o espaço da Biblioteca de Fotografia e exibindo entre outros destaques a retrospectiva do americano Irving Penn e a fotografia do Mali nas obras de Seydou Keïta, os retratos mineiros de Chichico Alkmim e os panoramas americanos de Robert Frank, imagens históricas de conflitos no Brasil e um apanhado da produção de artistas nacionais contemporâneos, além da arte das imagens em movimento nos trabalhos de Christian Marclay, Douglas Gordon e Anri Sala.

Mas o IMS Paulista não é feito apenas de exposições, e ao longo desse período o cinema teve uma programação especial com mostras de realizadores importantes, como o japonês Kenji Mizoguchi e o português Joaquim Pedro de Andrade, e muitas sessões esgotadas, como as exibições de Nosferatu com trilha sonora ao vivo. O centro cultural do Instituto Moreira Salles também abrigou dezenas de aulas, oficinas, atividades educativas, palestras e bate-papos, estreitando ainda mais a relação dos visitantes com o mundo da arte e da cultura.

Outros eventos que trouxeram um grande público para o IMS Paulista foram as duas edições dos festivais serrote e ZUM, promovidos pelas revistas de ensaio e fotografia contemporânea do instituto,  bem como os frequentes espetáculos musicais de samba, choro e música contemporânea.

As pessoas que ajudaram a construir esse marco histórico também se dirigiram ao IMS Paulista para frequentar a Biblioteca de Fotografia, que além de oferecer um acervo riquíssimo sempre em expansão se tornou também um espaço de estudos disputado em meio à agitação da Avenida Paulista.

Rumo ao próximo milhão de visitas, a próxima exposição do IMS Paulista é Claudia Andujar: A luta Yanomami, com abertura em 15 de dezembro, uma retrospectiva sobre o trabalho da fotógrafa e ativista que dedicou a vida a estudar e proteger um povo indígena ameaçado de extinção.

(Todas as imagens do público que ilustram este post são de Maria Clara Villas)


Mais IMS