Idioma EN
Contraste

Evandro Teixeira

É difícil desassociar o nome de Evandro Teixeira de qualquer evento no país na segunda metade do século XX.  Em quase 70 anos de atividade, o baiano nascido em 1935 registrou o golpe militar de 1964, eternizou em imagens icônicas Pelé e Ayrton Senna, documentou fome e pobreza, mas também carnaval e festas populares. Um conjunto monumental, desde 2019 sob a guarda do IMS.


Evandro Teixeira – Cronologia

Na redação do Jornal do Brasil, Evandro Teixeira era conhecido como “o cara que resolvia”. Foi assim, ao fotografar sua cidade e seu país, que acabou por se projetar para o mundo. Integrou uma exposição da Leica, em Nova York, ao lado de nomes como Cartier-Bresson e Robert Capa. Seu nome consta na exclusiva Enciclopédia Suíça de Fotografia. Conquistou admiração e reconhecimento, e até o louvor de Carlos Drummond de Andrade, que no poema Diante das fotos de Evandro Teixeira, vaticinou: “Fotografia: arma de amor, de justiça e conhecimento”.


O jovem Zico e o velho Maraca

Cássio Loredano resgata nos arquivos dos Diários Associados/RJ sob a guarda do IMS duas imagens de um jovem Zico aos 18 anos, em 1971, enfrentando o zagueiro Moisés, do Vasco da Gama, no antigo Maracanã.


Susan Meiselas: Mediações (IMS Paulista)

Cobrindo da década de 1970 até os dias de hoje, a exposição traz um panorama do trabalho da fotógrafa norte-americana, integrante da agência Magnum. Sua obra, pautada pela empatia e a troca com o outro, colaborou imensamente para a expansão dos limites do fotojornalismo.


Luciano Carneiro

Luciano Carneiro era um repórter nato. Além de registar momentos marcantes da história do século XX, documentou a vida cotidiana no Japão e na União Soviética, acompanhou movimentos sociais e estudantis no Brasil, e lançou seu olhar sobre fatos que não cabiam em grandes reportagens. Na seção “Do arquivo de um correspondente estrangeiro”, na Cruzeiro, em que produzia fotos e textos, entrevistou Cartier-Bresson, falou das estrelas de Cannes, contou da experiência como único representante da imprensa brasileira na coroação de Elizabeth II.  


Walter Firmo

Nascido em 1º de junho de 1937 e conhecido como “mestre da cor”, o carioca Walter Firmo é autor de retratos memoráveis de ícones da música brasileira, como Pixinguinha, Cartola e Dona Ivone Lara. O acervo de uma carreira longeva, com cerca de 145 mil fotografias, está sob a guarda do IMS.


Instante zero do golpe

Autor de imagens icônicas da resistência à ditadura, Evandro Teixeira reconstitui para Alfredo Ribeiro a madrugada de chuva torrencial em que fotografou a tomada do Forte de Copacabana em 1964, registro presente em Conflitos.


Claudia Andujar: no lugar do outro

O livro inclui cerca de 230 imagens do período que se estende da chegada da fotógrafa em São Paulo, em 1955, até as primeiras viagens para a Amazônia, no começo dos anos 1970.


Modernidades Fotográficas: 1940-1964

O catálogo reúne a obra de quatro grandes fotógrafos brasileiros (José Medeiros, Thomaz Farkas, Marcel Gautherot e Hans Gunther Flieg) num período crucial para a formação da fotografia moderna brasileira – e para os destinos do país.


As origens do fotojornalismo no Brasil: um olhar sobre O Cruzeiro (1940-1960)

A publicação, que acompanhou a exposição de mesmo nome, realizada pelo IMS em 2012, investiga o início do fotojornalismo no Brasil, tendo como referência a produção dos fotógrafos que atuaram na revista O Cruzeiro.