Idioma EN
Contraste

Daisy Serena

Mulher negra, artista e ativista visual, poeta, mãe do Acauã, com estudos em Sociologia e Política na Fundação Escola de Sociologia e Política de São Paulo (FESPSP). Seu primeiro livro de poemas - Tautologias - foi publicado pela Padê Editorial em 2016. Sua primeira exposição solo ocorreu também em 2016, dentro da Mostra de Criadoras em Moda: Mulheres Afro-latinas, no Sesc Interlagos.

Clique nas imagens para ampliá-las
Antes foi o Banzo
Estar presente é folha de cura
O futuro é uma visão preta

 

os tempos do chão

este chão que há sob o chão
quem te diz?

como é se deitar sobre seus grãos
misturar-se ao farfalhar de seus tecidos
liquefazer-se em matéria antiga

antes dos prédios
nos tempos em que as pedras
ainda eram sujeitos

este chão que dá jeito de
agarrar-se entre nossas
enervações


inté
cocuruto

(que é o osso
que guarda o
ori)

para faz tremer
para fazer vibratar
para fazer estremecer

para fazer surgir do
terceiro chão esta
palavra

que sempre foi nossa

do banzo
até o encanto

sem quebrantar

(e por isso temem
e por isso sobrepõem
novas matérias)

idioma que até o piche
aprende na prensa
pra se enlaçar ao negrume

anterior
e submerso

este chão que está sob o chão
te anuncia chamando pela cor
da noite

sabe da força que tem
ser como macaxeira

ocupar pelo nome toda a língua
antes mesmo de romper a terra.

Publicado em 26/11/20

Outras seções da Revista O Menelick 2º Ato

Mais sobre o Programa Convida
Artistas e coletivos convidados pelo IMS desenvolvem projetos durante a quarentena. Conheça os participantes:

A · B · C · D · E · F · G · H · I · J · K · L · M · N · O · P · Q · R · S · T · U · V · W · X · Y · Z